Ouça agora

Ao vivo

Putin faz exigências para “negociar a paz” com a Ucrânia após encontro do G7
Mundo
Putin faz exigências para “negociar a paz” com a Ucrânia após encontro do G7
Justiça considera ilegal greve dos educadores de Macaé
Norte Fluminense
Justiça considera ilegal greve dos educadores de Macaé
Governo do estado cria Observatório do Feminicídio
Estado
Governo do estado cria Observatório do Feminicídio
Polícia Militar expande programas de polícia de proximidade na zona sul
Rio de Janeiro
Polícia Militar expande programas de polícia de proximidade na zona sul
Prédio no Centro Histórico de Petrópolis é destruído por incêndio
Região Serrana
Prédio no Centro Histórico de Petrópolis é destruído por incêndio
Termina hoje prazo para inscrição no Enem
Destaque
Termina hoje prazo para inscrição no Enem
RS receberá caravana do governo para garantir acesso a benefícios
Política
RS receberá caravana do governo para garantir acesso a benefícios

Denúncia de racismo: amigo e assessor de Vinicius Junior presta queixa à polícia de Barcelona

Felipe Silveira diz que segurança de estádio mostrou banana a ele antes de jogo da Seleção
Foto: Bruno Cassucci

Felipe Silveira, amigo e assessor pessoal de Vinicius Junior, prestou queixa à polícia de Barcelona, na Espanha, na manhã deste domingo. Ele acusa um segurança do Estádio Cornellà-El Prat de ter cometido racismo antes da partida entre Brasil e Guiné, no último sábado- o jogo foi marcado por ações de combate à discriminação racial.

O amigo de Vini Jr, que é negro e tem 27 anos, alega que, ao passar pela catraca da entrada do estádio, foi abordado por um segurança que o revistou, em procedimento padrão. Porém, neste momento, o funcionário do estádio teria tirado uma banana do bolso e falado:

– Mãos para cima, essa daqui é minha pistola.

Imediatamente, Felipe e outros três membros da equipe de Vini Jr que estavam com ele se revoltaram e chamaram a polícia.

Uma outra funcionária do estádio tentou tirar o homem do local, mas os membros da equipe de Vini Jr não deixaram ele sair. O segurança nega ter feito qualquer ofensa racista. O nome dele ainda não foi informado.

Há câmeras de segurança no local do incidente, e o estafe de Vini Jr pede para ter acesso às imagens. No sábado, porém, isso não foi permitido. Ainda no estádio, policiais informaram à equipe do jogador que o vídeo registrado era inconclusivo sobre a ocorrência do ato racista.