Ouça agora

Ao vivo

Cartórios podem renegociar dívidas enviadas a protesto
Destaque
Cartórios podem renegociar dívidas enviadas a protesto
Brasil encara Costa Rica na estreia da Copa América esta noite nos EUA
Esportes
Brasil encara Costa Rica na estreia da Copa América esta noite nos EUA
Governo do Rio promove 3ª edição da ExpoRio Turismo nesta semana
Estado
Governo do Rio promove 3ª edição da ExpoRio Turismo nesta semana
Quadrilha Junina é reconhecida como manifestação cultural do Brasil
Cultura
Quadrilha Junina é reconhecida como manifestação cultural do Brasil
Bairros voltam a inundar em Porto Alegre e moradores têm que deixar suas casas
Brasil
Bairros voltam a inundar em Porto Alegre e moradores têm que deixar suas casas
Rioprevidência alerta para suspensão do benefício de pensionista que não fez o recenseamento obrigatório em novembro
Estado
Rioprevidência alerta para suspensão do benefício de pensionista que não fez o recenseamento obrigatório em novembro
Portabilidade do saldo devedor do cartão de crédito começa em julho
Brasil
Portabilidade do saldo devedor do cartão de crédito começa em julho

Com Alexsander, Fluminense chega a nove problemas musculares em dois meses e meio

Quantidade de jogos em pouco tempo cobra seu preço no desgaste físico e é um dos motivos para a má fase do time de Fernando Diniz
Foto: Heber Gomes/AGIF

A maratona entre o primeiro jogo da final do Campeonato Carioca, dia 1º de abril, e a 10ª rodada do Brasileirão, 11 de junho, rendeu ao Fluminense oito jogadores com problemas musculares. Até o início dessa sequência a equipe só tinha tido um desfalque por esse motivo na temporada. Alexsander, que teve uma lesão de grau 3 na coxa direita no treino desta semana, é o mais recente a aumentar a estatística.

As dores, lesões e edemas se multiplicaram num time que tem média de um jogo a cada 3,4 dias entre a primeira Data Fifa do ano e agora. Essa é uma das explicações para a queda de rendimento da equipe tricolor. Em um elenco que não é dos mais recheados, as peças que entraram no time titular não conseguem suprir a saída dos machucados. O clube teve 17 problemas clínicos no ano (sem contar os casos de gripe de Keno e Manoel e o de indisposição estomacal de Giovanni). Foram 10 musculares, entre coxa e panturrilha, sendo que nove aconteceram da final do Estadual para cá.

Entre os jogadores com dores ou lesões musculares (veja na lista abaixo), quem ficou mais tempo fora foi Martinelli. O volante se machucou justamente no primeiro jogo da sequência, perdeu 13 partidas e voltou a atuar contra o Botafogo, quase 50 dias depois.

Problemas musculares de 2023:

  • Ganso (11/02): dores na coxa direita, perdeu um jogo
  • Martinelli (01/04): lesão na coxa direita, perdeu 13 jogos
  • David Braz (05/04): dores na coxa esquerda, perdeu um jogo
  • Marcelo (18/04): lesão na panturrilha direita, perdeu três jogos
  • Keno (02/05): lesão na coxa esquerda, perdeu 10 jogos
  • Samuel Xavier (06/05): edema na coxa esquerda, perdeu dois jogos
  • Marcelo (16/05): lesão na panturrilha direita, perdeu sete jogos
  • Felipe Melo (20/05): dores na coxa direita, saiu de um jogo
  • Nino (11/06): lesão no adutor da coxa direita, saiu de um jogo e segue fora
  • Alexsander (13/06): lesão na posterior da coxa direita

No comparativo com os primeiros seis meses dos últimos oito anos, o número de casos especificamente musculares de 2023 ainda está mais baixo. Só em 2017 e 2016 houve menos casos com o mesmo recorte de tempo (veja na lista abaixo):

DM do Fluminense nos últimos anos:

  1. 2016 – 18 problemas médicos, sendo 9 musculares.
  2. 2017 – 22 problemas médicos, sendo 7 musculares;
  3. 2018 – 18 problemas médicos, sendo 12 musculares;
  4. 2019 – 21 problemas médicos, sendo 10 musculares;
  5. 2020* – 26 problemas médicos, sendo 18 musculares;
  6. 2021** – 19 problemas médicos, sendo 13 musculares;
  7. 2022 – 23 problemas médicos, sendo 13 musculares;
  8. 2023 – 17 problemas médicos, sendo 10 musculares;

*A contagem de 2020 foi feita usando os três primeiros meses do ano e outros três entre junho (quando o futebol voltou durante a pandemia) e setembro, para manter a proporção correta;

**A contagem de 2021 foi feita a partir de março (início da temporada no futebol brasileiro por causa da pandemia) até agosto, para manter a proporção correta.