Ouça agora

Ao vivo

Vítima morta durantge comício de Donald Trump é identificada
Destaque
Vítima morta durantge comício de Donald Trump é identificada
Morre escritor e jornalista Sérgio Cabral Santos aos 87 anos
Destaque
Morre escritor e jornalista Sérgio Cabral Santos aos 87 anos
FBI identifica atirador que tentou matar Donald Trump
Destaque
FBI identifica atirador que tentou matar Donald Trump
Donald Trump sofre atentado durante um comício de sua candidatura à presidência dos EUA
Destaque
Donald Trump sofre atentado durante um comício de sua candidatura à presidência dos EUA
Vestibular Uerj 2025: inscrições para o 2º Exame de Qualificação
Destaque
Vestibular Uerj 2025: inscrições para o 2º Exame de Qualificação
Julgamento de Alec Baldwin por homicídio culposo é anulado por ocultação de provas
Destaque
Julgamento de Alec Baldwin por homicídio culposo é anulado por ocultação de provas
Queimados promove quarta edição da Colônia de Férias no Horto
Baixada Fluminense
Queimados promove quarta edição da Colônia de Férias no Horto

Uso de celulares em sala de aula são proibidos pela Prefeitura do Rio

O secretário de educação, afirmou que a decisão está de acordo com o Relatório Global de Monitoramento da Educação 2023 da Unesco
Foto: Reprodução/Revide.com

Decretado na manhã desta segunda-feira (07) no Diário Oficial, a Prefeitura do Rio proibiu o uso de aparelhos celulares durante as aulas da rede municipal.

A decisão diz que além do celular, dispositivos tecnológicos também ficam proibidos, como tablets. O uso não é mais permitido dentro das salas de aula e também fora delas, caso haja trabalhos individuais ou em um grupo em andamento.

No entanto, os estudantes poderão usar o celular se o professor permitir, para fins pedagógicos.

Alunos com deficiência ou problemas de saúde que precisem dos dispositivos tecnológicos para monitoramento ou auxílio poderão utilizar sem restrições.

Além disso, os celulares devem se manter no silencioso nos momentos em que o uso for permitido.

O secretário de educação, afirmou que a decisão está de acordo com o Relatório Global de Monitoramento da Educação 2023 da Unesco. A UNESCO aponta que o tempo de exposição à tela está associado à piora do bem-estar, menor curiosidade, autodisciplina e estabilidade emocional e até mesmo diagnósticos de depressão e ansiedade nas crianças.