Ouça agora

Ao vivo

Cláudio Castro se reúne com presidentes do Senado e da Câmara e defende regras mais duras para o combate ao crime
Destaque
Cláudio Castro se reúne com presidentes do Senado e da Câmara e defende regras mais duras para o combate ao crime
Governo cria sistema para emitir carteira para pessoa com TEA
Brasil
Governo cria sistema para emitir carteira para pessoa com TEA
Cantinas de prisões e hospitais penitenciários deixam de funcionar
Destaque
Cantinas de prisões e hospitais penitenciários deixam de funcionar
Estudantes de Maricá conquistam medalhas nos Jogos Escolares do Rio de Janeiro
Maricá
Estudantes de Maricá conquistam medalhas nos Jogos Escolares do Rio de Janeiro
Luiz Gonzaga será homenageado em Arraiá de Duque de Caxias
Destaque
Luiz Gonzaga será homenageado em Arraiá de Duque de Caxias
Coletivo Vista Minha Pele faz ação em Rio das Ostras
Costa do Sol
Coletivo Vista Minha Pele faz ação em Rio das Ostras
Angra reforça a atualização do CadÚnico
Angra dos Reis
Angra reforça a atualização do CadÚnico

UFF: segurança reforçada após ameaça de massacre e “mar de sangue”

Em nota, a instituição informou que seguiu orientações do Ministério da Justiça e Segurança Pública, acionou os órgãos competentes e reforçou o esquema de vigilância e segurança
Foto: Divulgação

A segurança nos campi da Universidade Federal Fluminense precisou ser reforçada após a ameaça de um massacre contra “gays, comunistas e esquerdistas”. A reitoria da instituição solicitou investigação da Polícia Federal para identificar o autor da mensagem, endereçada à servidores da UFF, e que anunciava um “mar de sangue” nos campi da universidade.

De acordo com a reitoria, as atividades seguem normais. Em nota, a instituição informou que seguiu orientações do Ministério da Justiça e Segurança Pública, acionou os órgãos competentes e reforçou o esquema de vigilância e segurança.

A UFF também pede à comunidade interna que o compartilhamento de mensagens que possam gerar danos seja evitado. “Em caso de atitudes ou ações suspeitas nas unidades acadêmicas e administrativas, orientamos que a comunidade acadêmica entre em contato imediatamente com o setor de segurança da universidade”, diz a nota.

As investigações do caso estão à cargo da Polícia Federal. “A UFF repudia veementemente qualquer tipo de ataque, seja por cor, orientação sexual ou gênero, e aguarda a apuração do caso pelas autoridades responsáveis”, completou a universidade.

O secretário Executivo de Niterói, Rodrigo Neves, disse que falou com o reitor da instituição, Antônio Cláudio Lucas da Nóbrega, e com autoridades da segurança pública acerca do caso e disse esperar que “as instituições atuem rapidamente para identificar o autor/autores das ameaças”.

“É fundamental não disseminar pânico, mas redobrar atenção e em caso de atitudes ou ações suspeitas, entrar em contato imediatamente com o setor de segurança pelo telefone (021) 97565-7735 ou pelo CISP da Prefeitura de Niterói através do 153”, publicou Rodrigo nas redes sociais.

O ex-prefeito niteroiense repudiou os ataques. “A democracia e o respeito às opiniões diferentes são pilares de uma sociedade civilizada e próspera. Em Niterói e no Brasil os extremistas que ameaçam e atacam a democracia e cidadãos devem ser identificados e punidos exemplarmente”, finalizou.