Ouça agora

Ao vivo

Comando de Polícia Rodoviária registra queda no número de acidentes com vítimas fatais durante o feriado de São Jorge
Destaque
Comando de Polícia Rodoviária registra queda no número de acidentes com vítimas fatais durante o feriado de São Jorge
Alerj aprova projeto para ampliar combate ao trabalho análogo à escravidão
Política
Alerj aprova projeto para ampliar combate ao trabalho análogo à escravidão
Prefeitura do Rio promove consulta pública sobre concessão de parques municipais
Rio de Janeiro
Prefeitura do Rio promove consulta pública sobre concessão de parques municipais
Maricá recebe prêmio destaque do artesanato na 16ª Rio Artes
Maricá
Maricá recebe prêmio destaque do artesanato na 16ª Rio Artes
Passagem de carretas interditará descida da serra de Petrópolis na madrugada de 25/04
Estado
Passagem de carretas interditará descida da serra de Petrópolis na madrugada de 25/04
Cidades do Rio podem ganhar “Café do Trabalhador”
Política
Cidades do Rio podem ganhar “Café do Trabalhador”
CBF divulga data e horário dos jogos da terceira fase da Copa do Brasil
Esportes
CBF divulga data e horário dos jogos da terceira fase da Copa do Brasil

Ucrânia acusa Rússia de bombardear equipes de resgate em área inundada

Pelo menos nove pessoas ficaram feridas, segundo autoridades ucranianas; milhares de pessoas perderam as casas em enchente causada por destruição de represa.
Foto: Reprodução

Autoridades ucranianas em Kherson, no sul da Ucrânia, disseram nesta quinta-feira, 8, que pelo menos nove pessoas ficaram feridas por bombardeios em meio a operações para resgatar residentes afetados por inundações catastróficas. A cidade ficou praticamente submersa após a destruição de uma represa ligada a uma usina hidrelétrica, ataque que Moscou e Kiev acusam-se mutuamente de ter cometido.

Dois funcionários do Serviço de Emergência do Estado, um policial, um médico e um voluntário da Alemanha estão entre os feridos, disse Oleksandr Prokudin, chefe da administração militar regional de Kherson.

“Um homem está na UTI com ferimentos graves e os médicos estão lutando por sua vida”, afirmou Prokudin.

“Hoje os russos cometeram outro ato terrorista. Um ataque maciço de artilharia nos locais onde nossos socorristas estão trabalhando”, disse Serhiy Kruk, chefe do Serviço de Emergência do Estado da Ucrânia.

Equipes de resgate estão tentando retirar milhares de pessoas da zona de inundação da represa e usina hidrelétrica de Nova Kakhovka, ocupada pelos russos, na região sul de Kherson. A barragem foi destruída por um bombardeio na terça-feira 6, enviando torrentes de água pelo Rio Dnipro.

A cidade de Kherson está sob controle ucraniano.

Tanto a Rússia quanto a Ucrânia estão se acusando mutuamente de bombardeios durante as evacuações. Kiev e Moscou também trocam farpas por causar a ruptura da represa, embora não esteja claro se ela foi deliberadamente atacada ou se o colapso foi resultado de falha estrutural.

Prokudin, o líder regional ucraniano em Kherson, também disse nesta quinta-feira que a água inundou 27 assentamentos e danificou mais de 3 mil casas, a maioria delas na cidade.

“Apesar dos ataques cínicos da Rússia, policiais, equipes de resgate e voluntários continuam a retirar as pessoas das áreas perigosas. Conseguiram resgatar 2.198 pessoas, incluindo 120 crianças e 38 pessoas com mobilidade reduzida”, acrescentou.

Funcionários do Kremlin, por sua vez, disseram que o presidente russo, Vladimir Putin, conversou por telefone na quinta-feira com o líder instalado em Moscou das áreas ocupadas de Kherson, de acordo com a agência de notícias estatal TASS.

Putin pediu que os serviços de emergência russos forneçam toda a assistência necessária às pessoas nas áreas afetadas, disse um porta-voz do Kremlin.