Ouça agora

Ao vivo

Dia Mundial sem Tabaco é lembrado em Macaé
Norte Fluminense
Dia Mundial sem Tabaco é lembrado em Macaé
Maratona do Rio 2024 começa nesta quinta-feira com recorde de inscritos
Rio de Janeiro
Maratona do Rio 2024 começa nesta quinta-feira com recorde de inscritos
Prefeitura de Maricá divulga programação de Corpus Christi
Maricá
Prefeitura de Maricá divulga programação de Corpus Christi
Paraty e Angra dos Reis recebem lançamento de livro sobre a Costa Verde
Angra dos Reis
Paraty e Angra dos Reis recebem lançamento de livro sobre a Costa Verde
Prazo para adesão ao Desenrola Fies é prorrogado até 31 de agosto
Destaque
Prazo para adesão ao Desenrola Fies é prorrogado até 31 de agosto
Estudantes de Caxias ganham nova escola municipal bilíngue
Baixada Fluminense
Estudantes de Caxias ganham nova escola municipal bilíngue
Ocupação hoteleira na Região dos Lagos deve ultrapassar os 75% durante o feriadão de Corpus Christi
Costa do Sol
Ocupação hoteleira na Região dos Lagos deve ultrapassar os 75% durante o feriadão de Corpus Christi

Tempo seco e baixa umidade do ar exigem cuidados especiais com a saúde

Pelos próximos dias, o Rio vai enfrentar um declínio da umidade do ar, o que pode desencadear problemas de saúde, principalmente entre os alérgicos

A chegada do inverno ainda não trouxe temperaturas muito baixas, mas a umidade do ar está em baixa. Segundo o Alerta Rio, a umidade relativa do ar pode ficar abaixo dos 30% durante a tarde, acendendo um estado de atenção para as consequências do tempo seco.

Essas temperaturas, em geral, podem ressecar nossas vias aéreas e comprometer a produção de muco, facilitando a entrada de vírus e bactérias e facilitar o contágio de doenças.

A baixa umidade do ar afeta diretamente nossa hidratação e dificulta todo o funcionamento do organismo, uma vez que a água é fundamental para todas as células do organismo.

Como manter o bem-estar no tempo seco?

De acordo com a OMS (Organização Mundial de Saúde), o nível ideal de umidade do ar para o organismo humano gira entre 40% e 70%. Quando a taxa cai para 30% é considerada uma situação de alerta e prejuízos para a saúde se tornam mais evidentes.

Para se manter saudável e não sofrer com os baixos níveis de umidade no ar, o Hospital de Clínicas de Campinas e a Faculdade de Medicina da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) fizeram um guia preventivo. Siga as dicas a seguir para não sofrer com a baixa umidade do ar:

Estado de atenção: entre 20% e 30%

  • Evitar exercícios físicos ao ar livre entre 11h e 15h;
  • Umidificar o ambiente com vaporizadores, toalhas molhadas, recipientes com água, irrigação de jardins etc;
  • Consumir água à vontade;

Estado de alerta: entre 12% e 20%

  • Seguir as recomendações do estado de atenção;
  • Suprimir exercícios físicos e trabalhos ao ar livre entre 10h e 16h, como correr, pedalar, fazer coleta de lixo, entregar correspondência etc;
  • Evitar aglomerações em ambientes fechados;
  • Usar soro fisiológico para umidificar olhos e narinas.

Estado de emergência: abaixo de 12%

  • Seguir as recomendações anteriores;
    Suspender atividades em que há aglomeração de pessoas em recintos fechados, como aulas e cinemas, entre 10h e 16h;
  • Durante a tarde, manter úmido os ambientes internos, principalmente quarto de crianças e idosos.

Atentando que a poeira é a principal causa de aumento de doenças respiratórias, a cartilha também dá conselhos para afastar o pó, ácaros e mofo, atenuando sintomas, como manter arejados os ambientes internos, usar aparelhos para purificação do ar também é recomendado, evitar carpetes ou cortinas que acumulem poeiras, além de limpar a casa com pano úmido (principalmente os cantos do quarto, beiradas e estrados da cama).