Ouça agora

Ao vivo

Flexibilização da faixa seletiva da Av. Brasil começa nesta terça-feira (23/04)
Destaque
Flexibilização da faixa seletiva da Av. Brasil começa nesta terça-feira (23/04)
Prefeitura de Duque de Caxias anuncia canalização do canal dois irmãos
Baixada Fluminense
Prefeitura de Duque de Caxias anuncia canalização do canal dois irmãos
Prefeitura vai levar artesanato de Angra para o Rio Artes
Angra dos Reis
Prefeitura vai levar artesanato de Angra para o Rio Artes
Prefeitura de Nova Iguaçu retoma obras do Viaduto de Comendador Soares
Nova Iguaçu
Prefeitura de Nova Iguaçu retoma obras do Viaduto de Comendador Soares
TRE-RJ amplia horário de atendimento até a data do fechamento do cadastro eleitoral
Estado
TRE-RJ amplia horário de atendimento até a data do fechamento do cadastro eleitoral
Capela São Jorge, em Campos, tem programação religiosa nesta terça
Norte Fluminense
Capela São Jorge, em Campos, tem programação religiosa nesta terça
Lula anuncia ampliação do programa Pé-de-Meia
Política
Lula anuncia ampliação do programa Pé-de-Meia

Senadores apresentam pedido de impeachment do ministro Barroso por fala sobre ‘derrotar o bolsonarismo’

Na última quinta-feira (13), o presidente do Congresso Rodrigo Pacheco (PSD-MG) declarou que analisaria o pedido de impeachment se o documento fosse apresentado pelos senadores

Treze senadores de oposição apresentaram nesta quarta-feira (19) o pedido de impedimento do ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF) por uma declaração feita no encontro da União Nacional dos Estudantes (UNE) na última quarta-feira (12). Além dos parlamentares do Senado, 77 deputados de dez partidos também assinam o documento entregue à mesa e direcionado ao presidente do Congresso Nacional, Rodrigo Pacheco, que irá apreciá-lo e decidir se coloca ou não para votação no plenário. O impeachment de Barroso precisaria de 54 votos para ser aprovado.

Vice-líder da bancada do Partido Liberal (PL) no Senado, Jorge Seif (PL-RJ) afirmou que a declaração do ministro sobre a derrota do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) nas eleições do ano passado “fere de morte a democracia”. O parlamentar alegou que a apresentação do pedido de impeachment ainda em meio ao recesso parlamentar é a certeza de que os votos dos eleitores não estão sendo ignorados. “Crime não se resolve com pedido de perdão. Crime não se resolve com retratação”, disse.

Líder da oposição na Câmara dos Deputados, Carlos Jordy (PL-RJ) insistiu na necessidade de instaurar um processo de impedimento do ministro da Corte Suprema e alfinetou Pacheco. “Ele [Luís Roberto Barroso] demonstrou desrespeito com a democracia, desrespeito com a Constituição. É um fato cristalino o crime de responsabilidade, e rogamos ao presidente Rodrigo Pacheco que abra a investigação, e não engavete o pedido dessa vez”, declarou.

Ministro Luís Roberto Barroso no centro da polêmica

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), participou de um encontro da União Nacional dos Estudantes (UNE) na quarta-feira passada (12) e, após ser vaiado, afirmou: “Nós derrotamos a censura. Nós derrotamos a tortura. Nós derrotamos o bolsonarismo para permitir a democracia e a manifestação livre de todas as pessoas”.

A declaração gerou mal-estar entre políticos de oposição e aliados do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), que na noite passada começaram a articular a coleta de assinaturas para apresentar um pedido de impeachment do ministro ao Congresso Nacional.