Ouça agora

Ao vivo

Macaé ganha novas redes de esgoto na Aroeira
Norte Fluminense
Macaé ganha novas redes de esgoto na Aroeira
Itaipuaçu recebe evento Passaporte em Ação
Maricá
Itaipuaçu recebe evento Passaporte em Ação
Petrópolis tem 82 hectares de área queimada no primeiro semestre do ano
Destaque
Petrópolis tem 82 hectares de área queimada no primeiro semestre do ano
Eleições Municipais têm mulheres como maioria do eleitorado, revela TSE
Brasil
Eleições Municipais têm mulheres como maioria do eleitorado, revela TSE
Eduardo Paes lança candidatura à reeleição, mas ainda sem o nome do vice. Pedro Paulo é o preferido
Política
Eduardo Paes lança candidatura à reeleição, mas ainda sem o nome do vice. Pedro Paulo é o preferido
Prouni terá mais de 240 mil bolsas no segundo semestre
Brasil
Prouni terá mais de 240 mil bolsas no segundo semestre
Projeto de Judô transforma vida de 280 crianças em Japeri
Baixada Fluminense
Projeto de Judô transforma vida de 280 crianças em Japeri

Segundo levantamento, Rio tem déficit de 1 milhão de árvores; saiba quais os bairros mais arborizados

Observatório do Calor da UFRJ revela que a diferença de temperatura entre bairros com maior e menor quantidade de árvores pode chegar a 11 graus
Bairro do Grajaú, na Zona Norte do Rio, é um dos bairros mais arborizados da cidade - Imagem: Reprodução

O Rio de Janeiro enfrenta um déficit de cerca de um milhão de árvores, especialmente nas zonas Norte e Oeste, de acordo com a Sociedade Brasileira de Arborização Urbana. Bairros como Cordovil, Santa Cruz e Bangu possuem uma cobertura vegetal significativamente baixa. Por outro lado, áreas como Jardim Botânico, Gávea, na Zona Sul, e Grajaú, na Zona Norte, têm mais árvores.

O aumento das temperaturas na cidade, agravado pelo aquecimento global e pelo fenômeno climático El Niño, é uma preocupação crescente para os pesquisadores. A falta de áreas verdes tem um impacto direto na sensação térmica, com áreas menos arborizadas experimentando temperaturas até 5 graus Celsius mais altas em comparação com locais com vegetação.

Outro estudo realizado pelo Observatório do Calor da UFRJ revela que a diferença de temperatura entre bairros com maior e menor quantidade de árvores pode chegar a 11 graus Celsius. Além da presença de árvores, outros fatores, como a proximidade da brisa marítima, rios, lagoas e o tráfego de veículos, também influenciam a temperatura média de um bairro.

Por todas essas razões, Madureira, na Zona Norte do Rio, é identificado como o bairro mais quente da cidade. Para lidar com esse desafio, especialistas enfatizam a necessidade de políticas públicas e o comprometimento de diversos setores da sociedade, desde o planejamento urbano até as áreas de meio ambiente, transporte e educação. Uma ação conjunta envolvendo agentes públicos e privados e a sociedade civil é vista como fundamental para enfrentar esse problema crescente.