Ouça agora

Ao vivo

Rio das Ostras fecha ruas para oferecer mais segurança no Jazz e Blues
Costa do Sol
Rio das Ostras fecha ruas para oferecer mais segurança no Jazz e Blues
Defesa Civil de Macaé divulga comunicado sobre rajadas de vento na região
Norte Fluminense
Defesa Civil de Macaé divulga comunicado sobre rajadas de vento na região
Defesa Civil de Angra presta auxílio ao Rio Grande do Sul
Angra dos Reis
Defesa Civil de Angra presta auxílio ao Rio Grande do Sul
Assistência Social registra quase 3 mil atendimentos no mutirão do CadÚnico
Maricá
Assistência Social registra quase 3 mil atendimentos no mutirão do CadÚnico
Cinema e cultura popular são os destaques da semana no II Festival de Artes de Nova Iguaçu
Nova Iguaçu
Cinema e cultura popular são os destaques da semana no II Festival de Artes de Nova Iguaçu
Polícia Civil faz operação contra venda ilícita de cobre em diversas regiões do RJ
Estado
Polícia Civil faz operação contra venda ilícita de cobre em diversas regiões do RJ
Lojistas cariocas esperam aumento de 4% nas vendas para o 12 de Junho
Rio de Janeiro
Lojistas cariocas esperam aumento de 4% nas vendas para o 12 de Junho

Segundo IBGE população do Brasil envelhece, mora cada vez mais só e de aluguel

A amostragem da pesquisa atual foi feita com 168 mil domicílios.
Foto: Reprodução

A população brasileira está ficando cada vez mais idosa, morando cada vez mais sozinha e de aluguel. Essas são algumas conclusões da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) Contínua, divulgada hoje pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Dados da pesquisa

A amostragem da pesquisa atual foi feita com 168 mil domicílios. A série histórica da pesquisa começou em 2016, mas a última divulgação ocorreu em 2019, já que nos dois anos seguintes não houve coleta por conta da pandemia.

15,1% da população são idosos

No ano passado, a parcela de pessoas idosas (com 60 anos ou mais de idade) representava 15,1% da população, frente à estimativa de 11,3% em 2012.

A população de pessoas abaixo de 30 anos de idade caiu para 43,3% em 2022. Em 2012, essa estimativa era de 49,9%. Já a população de 30 anos ou mais de idade cresceu, atingindo 56,7% em 2022 contra 50,1% em 2012.

A população de pessoas abaixo de 30 anos de idade caiu para 43,3% em 2022. Em 2012, essa estimativa era de 49,9%. Já a população de 30 anos ou mais de idade cresceu, atingindo 56,7% em 2022 contra 50,1% em 2012.

Entre 2012 e 2022, destaca-se também a queda da participação das pessoas de 10 a 13 anos (de 6,7% para 5,4%) e de 14 a 17 anos de idade (de 7,1% para 5,6%).

Foto: Reprodução

Aumenta o número de casas com apenas um morador 

Em 2022, 15,9% das unidades domésticas tinham apenas um morador. Essa participação cresceu 3,7 pontos percentuais ante 2012 (12,2%). Entre as pessoas que moravam sozinhas, 45,9% tinham entre 30 e 59 anos e 41,8% eram idosos (60 anos ou mais).

“Além do aumento dos domicílios unipessoais, há um detalhe importante: enquanto 55,9% dos homens que moravam sozinhos em 2022 tinham entre 30 e 59 anos, a maior parte (57,5%) das mulheres morando sozinhas tinha 60 anos ou mais”, explica Gustavo Geaquinto, analista da pesquisa, em nota à imprensa.

Em 2022, o arranjo domiciliar mais frequente no país, encontrado em 66,3% dos domicílios, era o nuclear (casal com ou sem filhos, inclusive adotivos, enteados ou de criação).

Morando de Aluguel

Dos 74,1 milhões de domicílios particulares permanentes do Brasil, 47,3 milhões (63,8%) eram próprios e já pagos. No entanto, o predomínio do imóvel quitado vem apresentando queda desde 2016, quando o percentual era de 66,7%.

Durante esse período, vem aumentando o percentual de domicílios alugados, que saiu de 18,5% em 2016 e alcançou 21,1% em 2022 – ou 15,7 milhões. Os cedidos representavam 8,8% (6,6 milhões) e aqueles em outra condição, por exemplo, os casos de invasão, totalizavam 0,2% (174 mil).

Foto: Reprodução

Pessoas que se declaram pretas sobe para 10,6%

Cerca de 45,3% da população do país se declarou parda, seguido pelo grupo dos que se declarara branca (42,8%) e pelos que se declararam pretos (10,6%). Detalhe é que a proporção da população que se declaravam como preta subiu de 7,4% (em 2012) para 10,6%.

Por outro lado, em dez anos, a participação de que se declarava como branca teve uma redução de 3,5 pontos percentuais, variando de 46,3%, em 2012, para 42,8%, em 2022.

Mais mulheres do que homens 

Em 2022, as mulheres correspondiam a 51,1% da população do país, enquanto os homens totalizaram 48,9%. A ppesquisa também revelou que as mulheres são as que mais vivem essa longevidade. Entre a população acima de 60 anos, eram 78,8 homens para cada 100 mulheres vivas no ano passado.