Ouça agora

Ao vivo

Procon e Conselho de Veterinária fazem fiscalização e interditam clínicas na zona norte do Rio
Estado
Procon e Conselho de Veterinária fazem fiscalização e interditam clínicas na zona norte do Rio
Governo se reúne com professores e servidores federais em greve para discutir revisão de carreira
Destaque
Governo se reúne com professores e servidores federais em greve para discutir revisão de carreira
Rio das Ostras e Senac RJ oferecem curso gratuito no setor de Gastronomia
Costa do Sol
Rio das Ostras e Senac RJ oferecem curso gratuito no setor de Gastronomia
Workshop de atendimento segue com inscrições abertas
Angra dos Reis
Workshop de atendimento segue com inscrições abertas
Maricá lança ferramenta de segurança nas escolas
Maricá
Maricá lança ferramenta de segurança nas escolas
Nova Iguaçu recebe mais uma edição da Festa de São Jorge
Nova Iguaçu
Nova Iguaçu recebe mais uma edição da Festa de São Jorge
Governador Cláudio Castro nomeia novo secretário de Polícia Militar
Estado
Governador Cláudio Castro nomeia novo secretário de Polícia Militar

Secretaria de Saúde alerta sobre os cuidados com as alergias

Diagnóstico e tratamento são oferecidos gratuitamente na rede municipal.
Foto: Reprodução

Neste sábado (08), Dia Mundial da Alergia, a Secretaria Municipal de Saúde faz alerta sobre os cuidados com as alergias, que podem aparecer ainda na infância ou ao longo da vida. Os tipos mais comuns de alergias são as respiratórias, alimentares, as dermatites e as causadas por picadas de insetos. O Centro Carioca de Especialidades aumentou a oferta de diagnóstico e tratamento para a capital e os medicamentos podem ser retirados pelo SUS.

A alergia é uma resposta do organismo a substâncias que normalmente seriam inofensivas para a maioria das pessoas, como alimentos, insetos, poeiras, medicamentos, entre outros, chamados alérgenos. Quando uma pessoa alérgica a um desses elementos é exposta, o sistema imunológico o reconhece como uma ameaça e libera reações que desencadeiam uma resposta química, se torna sensibilizado e produz anticorpos chamados imunoglobulinas E (IGE). São estes anticorpos que, em um próximo contato, vão reconhecer o alérgeno e promover a liberação de várias outras substâncias, levando a sintomas de alergia que podem ser leves ou graves.

A alergologista do Centro Carioca de Especialidades (CCE) Erica Dutra Tepedino diz que as alergias respiratórias causadas por ácaros, fungos e pelos de animais são as principais causas das crises de rinite e asma. As alergias alimentares, as dermatites atópicas, dermatite de contato e a alergia a picadas de insetos também são muito comuns.

“O diagnóstico para alguma alergia se dá principalmente através do histórico clínico do paciente, com anamnese. É muito importante não se automedicar e procurar o médico. Se necessário, o profissional pode pedir um exame complementar, que varia de acordo com cada caso. O tratamento é realizado com o uso de medicação, que pode ser retirada nas unidades básicas de saúde”, explica a médica.

Desde a inauguração do CCE, em outubro do ano passado, a oferta para consultas com alergologista aumentou no município do Rio. Até o início do mês de julho, cerca de 3 mil pacientes, entre adultos e crianças, foram atendidos na unidade, e mais de 45 mil unidades de medicamentos para tratamento de alergias foram retirados no CCE. Os remédios para alergias também podem ser retirados nas unidades de Atenção Primária (clínicas da família e centros municipais de saúde).

Também é importante entender que as alergias, principalmente as alimentares, podem aparecer a qualquer momento da vida. As reações causadas pelo alérgeno dependem da produção dos anticorpos IGE, que às vezes podem ser estimulados depois de vários contatos. Por isso, algumas pessoas descobrem ter alergia a determinadas substâncias com idade avançada.

“É muito importante que a pessoa procure um médico a qualquer sintoma, desde uma dor de cabeça a algo mais grave. As alergias medicamentosas, por exemplo, podem causar choque anafilático. Por isso, também devemos alertar para as pessoas não se automedicarem, talvez a pessoa tenha alergia a um remédio e não sabe”, explica Erica sobre a importância de ter prescrição médica para todo medicamento.