Ouça agora

Ao vivo

Putin faz exigências para “negociar a paz” com a Ucrânia após encontro do G7
Mundo
Putin faz exigências para “negociar a paz” com a Ucrânia após encontro do G7
Justiça considera ilegal greve dos educadores de Macaé
Norte Fluminense
Justiça considera ilegal greve dos educadores de Macaé
Governo do estado cria Observatório do Feminicídio
Estado
Governo do estado cria Observatório do Feminicídio
Polícia Militar expande programas de polícia de proximidade na zona sul
Rio de Janeiro
Polícia Militar expande programas de polícia de proximidade na zona sul
Prédio no Centro Histórico de Petrópolis é destruído por incêndio
Região Serrana
Prédio no Centro Histórico de Petrópolis é destruído por incêndio
Termina hoje prazo para inscrição no Enem
Destaque
Termina hoje prazo para inscrição no Enem
RS receberá caravana do governo para garantir acesso a benefícios
Política
RS receberá caravana do governo para garantir acesso a benefícios

Secretaria de Estado da Mulher lança movimento #ELAPODE na semana do Dia Internacional do Surf

O movimento é de enfrentamento à violência contra a mulher no esporte.
Foto: Divulgação/Secretaria de Estado da Mulher

A Secretaria de Estado da Mulher (SEM-RJ) lança, nesta quarta-feira (21), em parceria com a Secretaria de Esporte e Lazer, o movimento #ELAPODE, de enfrentamento à violência contra a mulher no esporte.

Na semana em que o estado do Rio de Janeiro recebe a etapa do campeonato mundial de surf em Saquarema e se comemora o Dia Internacional do Surf, a modalidade que teve recentemente episódios lamentáveis de violência contra a mulher, a campanha convida atletas, praticantes de surf e de outras modalidades de esporte e a população fluminense a criar uma onda nas redes sociais para exigir respeito e reafirmar o direito de as mulheres estarem onde elas quiserem, jogando bola, fazendo gol, surfando, narrando futebol, apitando jogo, torcendo nas arquibancadas, e sem sofrerem assédio ou agressões físicas e verbais.

– Vamos fazer uma onda gigante contra a violência que atinge as mulheres no esporte. A Secretaria da Mulher tem canais e centros especializados para acolher e apoiar mulheres vítimas de assédio e outros tipos de violência. O movimento #ELAPODE quer estender essas ações para ambiente esportivo, incluindo os estádios – diz a secretária de Estado da Mulher, Heloisa Aguiar.

O movimento #ELAPODE convida atletas, esportistas e a população a postar um vídeo ou uma foto com uma mensagem e a hashtag da campanha, marcando o Instagram da SEM-RJ (@secmulherrj). Essas mensagens serão difundidas pelo Brasil e o mundo.

A superintendente de Enfrentamento à Violência contra a Mulher da SEM-RJ, a delegada Tatiana Queiroz, é surfista e relata que o surf vem se tornando um espaço hostil para as mulheres, o que precisa ser combatido:

– A Secretaria de Estado da Mulher está iniciando esta semana o movimento #ELAPODE, contra a violência no esporte. Essa violência se configura de duas maneiras: assédio moral ou sexual, estupro, injúria entre treinadores e meninas que praticam esporte; e a violência contra as mulheres na prática esportiva. No surf, temos vivenciado essas agressões praticadas por homens contra meninas dentro e fora da água. Não se cale. Se você for agredida, relate para alguém e, em casos mais graves, procure a polícia e faça um registro de ocorrência – alerta Tatiana Queiroz.

Para o secretário de Estado de Esporte e Lazer, Rafael Picciani, o esporte possui muitas formas de colaborar com a sociedade:

– Uma delas é demonstrando a igualdade entre gêneros e a importância do respeito ao próximo. O ambiente do surf tem se mostrado altamente eficaz para esse fundamento, pois acolhe jovens, adultos, pessoas mais experientes, pessoas com deficiência e muito especialmente mulheres, o que demonstra que a sociedade precisa aprender com os bons exemplos que o esporte vem trazer. E nós sempre defenderemos esportes livres de preconceito ou qualquer tipo de agressão.

 

Aplicativo Rede Mulher

Criado pelo Governo do Estado e desenvolvido pela Polícia Militar para socorrer vítimas de violência, o app Rede Mulher tem o botão de emergência que permite contato eletrônico com o 190. No aplicativo, a mulher também pode ser redirecionada para o site da Polícia Civil para fazer um registro de ocorrência on-line. Outra funcionalidade é o modo camuflado, que, quando acionado, muda de aparência e só pode ser acessado por login e senha. Há também um passo a passo de como solicitar um pedido de medida protetiva e uma lista com os centros especializados de atendimento à mulher. Outro ícone importante é o Guardiões, uma rede de apoio com contato de até três pessoas que possam socorrer a vítima em uma situação de emergência.