Ouça agora

Ao vivo

Macaé ganha novas redes de esgoto na Aroeira
Norte Fluminense
Macaé ganha novas redes de esgoto na Aroeira
Itaipuaçu recebe evento Passaporte em Ação
Maricá
Itaipuaçu recebe evento Passaporte em Ação
Petrópolis tem 82 hectares de área queimada no primeiro semestre do ano
Destaque
Petrópolis tem 82 hectares de área queimada no primeiro semestre do ano
Eleições Municipais têm mulheres como maioria do eleitorado, revela TSE
Brasil
Eleições Municipais têm mulheres como maioria do eleitorado, revela TSE
Eduardo Paes lança candidatura à reeleição, mas ainda sem o nome do vice. Pedro Paulo é o preferido
Política
Eduardo Paes lança candidatura à reeleição, mas ainda sem o nome do vice. Pedro Paulo é o preferido
Prouni terá mais de 240 mil bolsas no segundo semestre
Brasil
Prouni terá mais de 240 mil bolsas no segundo semestre
Projeto de Judô transforma vida de 280 crianças em Japeri
Baixada Fluminense
Projeto de Judô transforma vida de 280 crianças em Japeri

Rio foi capital mais quente e seca do país nesta última segunda-feira

Máxima nesta última segunda-feira (18) foi de 38,3°C, com 18% de umidade relativa do ar
Imagem: Reprodução

Em meio à onda de calor que atinge o Brasil nesta semana, o Rio foi a capital mais quente e mais seca na última segunda-feira (18), segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

Segundo o instituto, as capitais mais quentes tiveram as seguintes temperaturas máximas:

Rio de Janeiro: 38,3°C (recorde do ano é 38,8°C)

Palmas: 38,0°C (recorde 39,6°C)

Teresina: 37,4°C (39,9°C)

 

Baixa umidade

O Rio também teve 18% de umidade relativa do ar, o que a deixou como a capital mais seca do Brasil nesta segunda-feira. Outras áreas da Região Metropolitana também sofreram.

Seropédica, na Baixada Fluminense, chegou a registrar 10% de umidade do ar nesta segunda.

O Inmet divulgou dois alertas sobre a baixa umidade em vários estados.

O país vive mais uma onda de calor, com dias ensolarados e temperaturas acima do normal para o período. Isso está acontecendo porque um bloqueio atmosférico está impedindo a chegada de frentes frias nos próximos dias, comuns para o período.

calSegundo os meteorologistas, o ápice de todo esse calor está previsto mesmo para o próximo final de semana, entre os dias 23 e 24 de setembro, com destaque para as capitais Curitiba, São Paulo e Rio de Janeiro, quando novos recordes de calor podem ser estabelecidos, segundo a Climatempo.