Ouça agora

Ao vivo

Anuário Brasileiro de Segurança Pública aponta redução das Mortes Violentas Intencionais no RJ
Destaque
Anuário Brasileiro de Segurança Pública aponta redução das Mortes Violentas Intencionais no RJ
Escola Municipal do Idoso está com inscrições abertas até o dia 23/07
Maricá
Escola Municipal do Idoso está com inscrições abertas até o dia 23/07
Colecionadores podem comprar selos em comemoração aos 50 anos da Hello Kitty
Destaque
Colecionadores podem comprar selos em comemoração aos 50 anos da Hello Kitty
Inscrições para o Prouni abrem nesta terça-feira (23)
Brasil
Inscrições para o Prouni abrem nesta terça-feira (23)
Cláudio Castro autoriza construção de três novos batalhões da PM
Destaque
Cláudio Castro autoriza construção de três novos batalhões da PM
G20 inicia semana de encontros econômicos e sociais no Rio
Brasil
G20 inicia semana de encontros econômicos e sociais no Rio
Eleitorado do Rio de Janeiro será 4,6% maior nas eleições deste ano
Política
Eleitorado do Rio de Janeiro será 4,6% maior nas eleições deste ano

Ricardo Cavaliere toma posse na Academia Brasileira de Letras

Filólogo venceu a disputa com o cartunista Maurício de Souza, ocorrida em abril. Ele ocupará, a partir de sexta-feira (18) a cadeira 8 da ABL, substituindo a escritora Cleonice Berardinelli
Ricardo Cavalliere - Foto: Divulgação

Um dos maiores filólogos do país, o escritor Ricardo Cavaliere tomará posse na cadeira nº 8 da Academia
Brasileira de Letras na próxima sexta-feira, dia 18. Cavaliere foi eleito em abril com 35 de 38 votos possíveis, para substituir a escritora Cleonice Berardinelli, morta em janeiro de 2023.

Na cerimônia de posse, o discurso de recepção será feito pelo Acadêmico Evanildo Cavalcante Bechara. A
espada será entregue pelo Acadêmico Arnaldo Niskier, o colar pelo Acadêmico Antonio Carlos Secchin e o
diploma pelo Acadêmico Domício Proença Filho. A comissão de entrada será formada pelos Acadêmicos,
José Paulo Cavalcanti, Godofredo de Oliveira Neto e Ruy Castro; a comissão de saída pelos Acadêmicos Ana
Maria Machado, Rosiska Darcy de Oliveira e Arno Wehling.

Cavaliere tem experiência na área de Letras e Linguística, com ênfase em descrição do português e na
historiografia dos estudos gramaticais. É autor de mais de uma centena de trabalhos acadêmicos em sua
especialidade.

O acadêmico

Ricardo Cavaliere é um linguista de nacionalidade brasileira e italiana, graduado e licenciado em letras
(1975) e graduado em direito (1996), ambos os cursos cumpridos na Universidade Federal do Rio de Janeiro.
Obteve o título de mestre em Língua Portuguesa (1990) e de doutor em Língua Portuguesa (1997) pela
mesma universidade. Cumpriu estágio de pós-doutorado em História da Gramática no Brasil (2005), na
Universidade do Estado do Rio de Janeiro, sob supervisão do Prof. Dr. Evanildo Bechara. Atualmente é
professor aposentado da Universidade Federal Fluminense, onde atua no Programa de Pós-Graduação em
Estudos de Linguagem, membro da Academia Brasileira de Filologia, membro do Conselho Editorial da
Editora Lexikon, da Editora Lucerna, diretor da Revista Confluência, conselheiro do Real Gabinete Português
de Leitura e conselheiro do Liceu Literário Português. É membro de associações nacionais e internacionais
em sua área de investigação, entre elas a Société de Linguistique Romane, a Henry Sweet Society for the
History of Linguistic Ideas, a Societas Linguistica Europeae, a Associação Brasileira de Linguística e a Société
d’Histoire et d’Épistémologie des Sciences du Langage. Ocupa a cadeira nº 29 da Academia Brasileira de
Filologia.

É autor de diversas obras, entre elas: Fonologia e morfologia na gramática científica brasileira (2000), Pontos
essenciais em fonética e fonologia (2005), Palavras denotativas e termos afins: uma visão argumentativa (2009), A gramática no Brasil: ideias, percursos e parâmetros (2014) e História da gramática no Brasil: séculos XVI a XIX (2022). Foi eleito para ocupar a cadeira n.º 8 da Academia Brasileira de Letras em 27 de abril de 2023.

Dentre as comendas recebidas, destacam-se o título de Grande Benemérito do Real Gabinete Português de
Leitura (2008), a Medalha do Mérito Filológico da Academia Brasileira de Filologia (2018) e o Prêmio Celso
Cunha da União Brasileira de Escritores (2015).