Ouça agora

Ao vivo

Governo cria sistema para emitir carteira para pessoa com TEA
Brasil
Governo cria sistema para emitir carteira para pessoa com TEA
Cantinas de prisões e hospitais penitenciários deixam de funcionar
Destaque
Cantinas de prisões e hospitais penitenciários deixam de funcionar
Estudantes de Maricá conquistam medalhas nos Jogos Escolares do Rio de Janeiro
Maricá
Estudantes de Maricá conquistam medalhas nos Jogos Escolares do Rio de Janeiro
Luiz Gonzaga será homenageado em Arraiá de Duque de Caxias
Destaque
Luiz Gonzaga será homenageado em Arraiá de Duque de Caxias
Coletivo Vista Minha Pele faz ação em Rio das Ostras
Costa do Sol
Coletivo Vista Minha Pele faz ação em Rio das Ostras
Angra reforça a atualização do CadÚnico
Angra dos Reis
Angra reforça a atualização do CadÚnico
Prefeitura do Rio derruba mansões de luxo de até R$ 4 milhões no Joá
Destaque
Prefeitura do Rio derruba mansões de luxo de até R$ 4 milhões no Joá

Reforços não mudam o Vasco chega à décima derrota em 11 jogos

Com três estreias, time cria chances contra o Corinthians, mas não é eficiente.

Foi um Vasco com caras novas, mas com o mesmo roteiro angustiante. Jogo após jogo, os resultados vão minando as esperanças da torcida. Nem os reforços que desembarcaram no Rio de Janeiro nesta semana e estrearam neste sábado conseguiram mudar o panorama. A derrota por 3 a 1 para o Corinthians foi a décima nos últimos 11 jogos do clube carioca.

Comparado a jogos recentes, o Vasco até que não jogou mal. Teve seus momentos, conseguiu criar algumas chances, competiu e balançou as redes após mais de um mês em branco. Em uma situação normal, a derrota fora de casa para o Corinthians seria um resultado aceitável. Não é o caso. O momento exige muito mais.

 

Na última colocação, com aproveitamento de 18%, o time ainda está muito longe de gerar perspectiva. O sistema defensivo é frágil, o ataque não é eficiente, a armação no meio de campo é feita por volantes. É claro que ainda há margem para a evolução com a chegada dos reforços, que tiveram pouco tempo de treino. Seis dos sete contratados nesta janela já estrearam.

Também há margem de evolução com Rámon Diáz, há apenas três semanas no clube. Mas, além do futebol, será necessário recuperar a confiança do elenco, visivelmente abatido com onda de resultados ruins que já dura três meses no Brasileiro.

Ramón Díaz voltou com três mudanças do intervalo. Orellano, Paulinho e Gabriel Pec entraram, respectivamente, nas vagas de Puma, Jair e Figueiredo. O time seguiu com volume de jogo, mas com pouca eficiência. De bom apenas a entrada de Orellano, visivelmente mais confiante.

Os espaços na defesa, no entanto, não foram corrigidos. E o Corinthians soube aproveitá-los. Quando o Vasco era melhor, Yuri Alberto ampliou, após falha de Capasso.

Um jogador, no entanto, conseguiu se destacar no segundo tempo. Orellano tentou chamar a responsabilidade, atuou mais centralizado e provavelmente teve sua melhor atuação com a camisa do Vasco. Foi dos pés dele que nasceu o gol do Vasco. Após boa arrancada, o argentino descolou bonito passe para Pec diminuir.

Não foi possível, no entanto, sequer esboçar reação. Dois minutos após Pec marcar, Paulinho colocou a mão na bola, dentro da área, infantilmente.

Pênalti, que Roger Guedes converteu e decretou mais uma derrota do Vasco.