Ouça agora

Ao vivo

Comando de Polícia Rodoviária registra queda no número de acidentes com vítimas fatais durante o feriado de São Jorge
Destaque
Comando de Polícia Rodoviária registra queda no número de acidentes com vítimas fatais durante o feriado de São Jorge
Alerj aprova projeto para ampliar combate ao trabalho análogo à escravidão
Política
Alerj aprova projeto para ampliar combate ao trabalho análogo à escravidão
Prefeitura do Rio promove consulta pública sobre concessão de parques municipais
Rio de Janeiro
Prefeitura do Rio promove consulta pública sobre concessão de parques municipais
Maricá recebe prêmio destaque do artesanato na 16ª Rio Artes
Maricá
Maricá recebe prêmio destaque do artesanato na 16ª Rio Artes
Passagem de carretas interditará descida da serra de Petrópolis na madrugada de 25/04
Estado
Passagem de carretas interditará descida da serra de Petrópolis na madrugada de 25/04
Cidades do Rio podem ganhar “Café do Trabalhador”
Política
Cidades do Rio podem ganhar “Café do Trabalhador”
CBF divulga data e horário dos jogos da terceira fase da Copa do Brasil
Esportes
CBF divulga data e horário dos jogos da terceira fase da Copa do Brasil

Projeto Escolas Seguras é realizado em mais uma escola de Nova Iguaçu

A Escola Agroecológica Vale do Tinguá foi a terceira unidade escolar a receber o programa este ano.

A Escola Agroecológica Vale do Tinguá, em Nova Iguaçu, passaram por uma simulação de desocupação de emergência, na manhã da última sexta-feira (23). A ação, que faz parte do projeto “Escolas Seguras: Desenvolvendo a Resiliência através da Educação”, tem como objetivo capacitar estudantes, professores e funcionários a saberem lidar com a prevenção e percepção de riscos a desastres no ambiente escolar e, consequentemente, em suas residências.

A Escola Agroecológica Vale do Tinguá foi a terceira unidade escolar a receber o programa este ano. Ao longo da semana, estudantes e funcionários participaram de palestras, oficinas e simulações de desocupação. Eles levaram mais de dois minutos para deixar o prédio e foram reduzindo o tempo durante vários treinamentos. Desde 2017, quando começou o projeto, a ação já foi realizada em 32 escolas, capacitando mais de 14 mil pessoas, sendo 12 mil alunos e dois mil professores e funcionários.

– Esse projeto faz com que os alunos consigam perceber os riscos que os cercam, além de treiná-los para uma emergência na escola. Agora, eles sabem sair, de forma organizada e coordenada, num menor tempo possível, caso ocorra qualquer emergência na escola – comentou o superintendente de Defesa Civil de Nova Iguaçu, Vilson Santos.

A diretora da Escola Agroecológica Vale do Tinguá, que conta com cerca de 170 alunos, Marielen Furtado, destacou que o curso despertou o interesse dos alunos por uma profissão.

– Muitos já falaram que querem ser bombeiros militares por causa do curso. Eles também aprenderam como preservar os animais silvestres da região, além de lidar com situações de emergência na escola – contou.

Em agosto, a visita vai acontecer na EM José de Anchieta (Tinguazinho). Em setembro, a simulação será na EM Aminthas Pereira (Figueira) e, em outubro, na EM Professora Izabel dos Santos Soares Melo (K11). Em novembro, a Secretaria de Defesa Civil de Nova Iguaçu ainda realiza um exercício simultâneo nas escolas que já receberam o projeto, numa alusão ao Dia Estadual para Redução de Riscos de Desastres.

O projeto “Escolas Seguras” foi destaque da VII Plataforma Regional para a Redução de Riscos de Desastres nas Américas e no Caribe, em Punta del Este, durante evento promovido pela Organização das Nações Unidas (ONU), em fevereiro deste ano.