Ouça agora

Ao vivo

Macaé ganha novas redes de esgoto na Aroeira
Norte Fluminense
Macaé ganha novas redes de esgoto na Aroeira
Itaipuaçu recebe evento Passaporte em Ação
Maricá
Itaipuaçu recebe evento Passaporte em Ação
Petrópolis tem 82 hectares de área queimada no primeiro semestre do ano
Destaque
Petrópolis tem 82 hectares de área queimada no primeiro semestre do ano
Eleições Municipais têm mulheres como maioria do eleitorado, revela TSE
Brasil
Eleições Municipais têm mulheres como maioria do eleitorado, revela TSE
Eduardo Paes lança candidatura à reeleição, mas ainda sem o nome do vice. Pedro Paulo é o preferido
Política
Eduardo Paes lança candidatura à reeleição, mas ainda sem o nome do vice. Pedro Paulo é o preferido
Prouni terá mais de 240 mil bolsas no segundo semestre
Brasil
Prouni terá mais de 240 mil bolsas no segundo semestre
Projeto de Judô transforma vida de 280 crianças em Japeri
Baixada Fluminense
Projeto de Judô transforma vida de 280 crianças em Japeri

Programa Vacina na Escola aplicou mais de 28 mil doses em um mês

A vacinação nas escolas é voluntária e precisa ser autorizada pelos pais dos alunos, por escrito ou presencialmente
Foto: Edu Kapps/Prefeitura do Rio

Em 30 dias do programa Vacina na Escola, lançado em 15 de agosto, 28.489 doses de imunizantes diversos foram aplicadas em escolas públicas e privadas localizadas na cidade do Rio de Janeiro. Destas, 11,5 mil foram da vacina HPV quadrivalente, que previne contra o câncer de colo de útero, entre outros tipos. Segundo o Instituto Nacional do Câncer (Inca), a doença atinge 17 mil brasileiras a cada ano e, em 2021, causou 6.606 óbitos no país, o que representa uma taxa de 6,06 mortes a cada 100 mil mulheres.

O Programa Vacina na Escola, da Prefeitura do Rio, faz parte da campanha Vacina, Rio, uma grande mobilização intersetorial que engloba um conjunto de iniciativas para estimular a imunização dos cariocas de todas as idades e em todas as regiões do município. É voltado para as escolas das redes municipal e estadual localizadas na cidade e aberto também para as unidades privadas que queiram participar. Até 15 de setembro, 1.220 instituições de ensino receberam as equipes de vacinação e cerca de outras 500 serão contempladas nas próximas semanas.

A vacinação nas escolas é voluntária e precisa ser autorizada pelos pais dos alunos, por escrito ou presencialmente. O aluno deve levar sua caderneta de vacinação para avaliação pelos profissionais de saúde, que aplicarão as doses necessárias para atualização dos esquema vacinal. Todos os imunizantes dos calendários da criança e do adolescente são disponibilizados no programa, conforme a faixa etária dos alunos de cada unidade. A vacina contra o HPV, especificamente, já foi aplicada nas escolas em 6.610 meninos e em 4.951 meninas.

A neoplasia de colo de útero é o quarto tipo de câncer que mais atinge mulheres no mundo. Desde 2014, a vacina HPV quadrivalente é oferecida gratuitamente pelo SUS para meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos. O imunizante trabalha na prevenção de lesões genitais pré-cancerosas de colo de útero e contra as verrugas genitais em mulheres e homens, estimulando o organismo a produzir anticorpos que vão agir contra o vírus, transmitido durante a relação sexual. A indicação, portanto, é que a aplicação da vacina seja anterior ao início da vida sexual, antes do possível contato com o vírus, por isso a faixa etária adotada pelo Programa Nacional de Imunizações. O HPV também pode causar câncer de pênis, ânus, vulva, vagina e orofaringe.