Ouça agora

Ao vivo

Dia Mundial sem Tabaco é lembrado em Macaé
Norte Fluminense
Dia Mundial sem Tabaco é lembrado em Macaé
Maratona do Rio 2024 começa nesta quinta-feira com recorde de inscritos
Rio de Janeiro
Maratona do Rio 2024 começa nesta quinta-feira com recorde de inscritos
Prefeitura de Maricá divulga programação de Corpus Christi
Maricá
Prefeitura de Maricá divulga programação de Corpus Christi
Paraty e Angra dos Reis recebem lançamento de livro sobre a Costa Verde
Angra dos Reis
Paraty e Angra dos Reis recebem lançamento de livro sobre a Costa Verde
Prazo para adesão ao Desenrola Fies é prorrogado até 31 de agosto
Destaque
Prazo para adesão ao Desenrola Fies é prorrogado até 31 de agosto
Estudantes de Caxias ganham nova escola municipal bilíngue
Baixada Fluminense
Estudantes de Caxias ganham nova escola municipal bilíngue
Ocupação hoteleira na Região dos Lagos deve ultrapassar os 75% durante o feriadão de Corpus Christi
Costa do Sol
Ocupação hoteleira na Região dos Lagos deve ultrapassar os 75% durante o feriadão de Corpus Christi

Programa Territórios Sociais chegou em mais cinco comunidades das zonas Norte e Oeste do Rio

O programa é uma parceria da Prefeitura do Rio com o ONU Habitat beneficiando as famílias mais vulneráveis do município
Foto: Divulgação/Prefeitura do Rio

O programa Territórios Sociais, que está presente nos dez maiores complexos de favelas da cidade, começa a atender nesta segunda-feira (12) moradores de mais cinco comunidades da cidade: Vila Sapê, Canal do Anil e Comunidade do Aço, na Zona Oeste, e Muquiço e Travessa Everest, na Zona Norte.

O programa é a realização de uma parceria entre a Prefeitura e o ONU-Habitat (Programa das Nações Unidas para os Assentamentos Humanos), que beneficia as famílias presentes nas localidades mais vulneráveis da cidade que não recebem atendimentos pelo poder público.

De acordo com a Prefeitura do Rio, o programa já realizou 144.209 entrevistas e cerca de 42 mil famílias passaram a ser monitoradas. Dos moradores identificados, 26.886 relataram situação de insegurança alimentar e 25.830 afirmaram viver na extrema pobreza. Até o fim de junho, mais 12 localidades serão contempladas com essa ação.

Com a expansão do programa, a meta é que o protocolo do programa seja aplicado em 616 favelas, 87 conjuntos habitacionais e 144 loteamentos irregulares, beneficiando mais de 1,5 milhão de pessoas.

A gestão do programa é feita por um comitê coordenado pelo Instituto Pereira Passos, com representantes das secretarias de Ação Comunitária; Assistência Social; Cultura; Educação; Habitação; Juventude; Planejamento Urbano; Políticas e Promoção da Mulher; Saúde; e Trabalho e Renda.