Ouça agora

Ao vivo

Macaé ganha novas redes de esgoto na Aroeira
Norte Fluminense
Macaé ganha novas redes de esgoto na Aroeira
Itaipuaçu recebe evento Passaporte em Ação
Maricá
Itaipuaçu recebe evento Passaporte em Ação
Petrópolis tem 82 hectares de área queimada no primeiro semestre do ano
Destaque
Petrópolis tem 82 hectares de área queimada no primeiro semestre do ano
Eleições Municipais têm mulheres como maioria do eleitorado, revela TSE
Brasil
Eleições Municipais têm mulheres como maioria do eleitorado, revela TSE
Eduardo Paes lança candidatura à reeleição, mas ainda sem o nome do vice. Pedro Paulo é o preferido
Política
Eduardo Paes lança candidatura à reeleição, mas ainda sem o nome do vice. Pedro Paulo é o preferido
Prouni terá mais de 240 mil bolsas no segundo semestre
Brasil
Prouni terá mais de 240 mil bolsas no segundo semestre
Projeto de Judô transforma vida de 280 crianças em Japeri
Baixada Fluminense
Projeto de Judô transforma vida de 280 crianças em Japeri

Prefeitura de Niterói vai desobstruir túnel na lagoa de Piratininga para evitar mortandades de peixes

O túnel que faz a ligação lagoa-mar foi construído pelo Estado em 2008
Milhares de peixes mortos na Lagoa de Piratininga/Foto: Reprodução Facebook

Após a mortandade de cerca de quatro toneladas de peixes na manhã desta quinta-feira, 28, na Lagoa de Piratininga, na Região Oceânica de Niterói, a prefeitura informou que fará a desobstrução do Túnel do Tibau, que liga a lagoa ao mar. Inclusive, já disponibilizou projeto básico e a planilha orçamentária para licitar, juntamente com a obra. O valor está estimado em R$ 28,5 milhões.

Os pescadores da região, quando foram para a lagoa, nesta manhã, se depararam com milhares de peixes mortos. A prefeitura informou que o trabalho de gestão das lagoas que possuem contato com o mar é de competência legal do Instituto Estadual do Ambiente (Inea). O túnel que faz a ligação lagoa-mar foi construído pelo Estado em 2008.

Foi verificado pela empresa contratada pela prefeitura para fazer a primeira desobstrução de 214m³ de pedra e pelos técnicos responsáveis pelo projeto básico, que a obra do túnel não foi totalmente concluída. O sistema lagunar da Região Oceânica tem uma gestão compartilhada entre o Município e o Estado desde 2013.

Segundo a prefeitura, a mortandade de peixes na lagoa ocorre de forma recorrente, principalmente em períodos de forte calor e radiação solar, ou mudanças bruscas de temperatura. O fato preocupa a prefeitura desde 2013, quando o município assumiu o protagonismo com relação a despoluição das lagoas de Piratininga e Itaipu e vem fazendo investimentos para recuperar as lagoas.

Investimentos

Como parte da solução, a prefeitura desenvolve o Parque Orla Piratininga Alfredo Sirkis (POP). Ele protege o meio ambiente, trata as águas dos rios e de escoamento superficial, promove a recuperação de uma área por muitos anos degradada e disponibiliza novos equipamentos de cultura e esportes.

Com investimento de R$ 100 milhões, o equipamento conta com jardins filtrantes que limpam as impurezas das águas pluviais e das três principais bacias hidrográficas que desaguam na Lagoa de Piratininga, devolvendo água de qualidade para a Lagoa de Piratininga.

Em 2019, a prefeitura chegou a fazer um novo trabalho de desobstrução. O processo foi paralisado quando o Inea informou, em outubro daquele ano, que não era competência do município a obra e que iria realizar a intervenção. Como o órgão estadual não realizou a obra, a prefeitura financiou, então, a contratação do projeto básico e a planilha orçamentária para que seja feita a licitação da empresa que vai fazer o projeto executivo e a obra de estabilização definitiva.

Em abril deste ano, a prefeitura se reuniu com o Inea e com a Secretaria de Estado de Ambiente e Sustentabilidade e submeteu esse documento e os órgãos estaduais se comprometeram a assumir 50% do valor total, e a prefeitura segue aguardando a aprovação do projeto para prosseguimento.

Inea fiscaliza descarte de resíduos na lagoa

O Instituto Estadual do Ambiente (Inea) informa que realiza fiscalizações em conjunto com a concessionária Águas de Niterói para apurar ligações irregulares que resultam no descarte de efluentes na lagoa que possam resultar na mortandade de peixes. O continuará avaliando a situação da lagoa com o objetivo de acompanhar as condições da água desse corpo hídrico. O Inea ampliou os pontos de coleta de qualidade de água no local, assim como a frequência dos mesmos.

O Inea realiza estudo para intervenções no Túnel Tibau e obras para a recuperação ambiental da Lagoa de Piratininga.