Ouça agora

Ao vivo

Comando de Polícia Rodoviária registra queda no número de acidentes com vítimas fatais durante o feriado de São Jorge
Destaque
Comando de Polícia Rodoviária registra queda no número de acidentes com vítimas fatais durante o feriado de São Jorge
Alerj aprova projeto para ampliar combate ao trabalho análogo à escravidão
Política
Alerj aprova projeto para ampliar combate ao trabalho análogo à escravidão
Prefeitura do Rio promove consulta pública sobre concessão de parques municipais
Rio de Janeiro
Prefeitura do Rio promove consulta pública sobre concessão de parques municipais
Maricá recebe prêmio destaque do artesanato na 16ª Rio Artes
Maricá
Maricá recebe prêmio destaque do artesanato na 16ª Rio Artes
Passagem de carretas interditará descida da serra de Petrópolis na madrugada de 25/04
Estado
Passagem de carretas interditará descida da serra de Petrópolis na madrugada de 25/04
Cidades do Rio podem ganhar “Café do Trabalhador”
Política
Cidades do Rio podem ganhar “Café do Trabalhador”
CBF divulga data e horário dos jogos da terceira fase da Copa do Brasil
Esportes
CBF divulga data e horário dos jogos da terceira fase da Copa do Brasil

Prefeitura de Niterói chama aprovados no concurso da Educação de 2008

Chamamento atende à decisão do Supremo Tribunal Federal. 64 dos 200 profissionais aprovados no concurso tomam posse nesta terça-feira (18)
Foto: Divulgação

A Fundação Municipal de Educação de Niterói convocou 64 dos 200 profissionais de ensino aprovados em concurso público realizado em 2008 para se apresentarem ao órgão e tomarem posse de seus cargos nesta terça-feira, 18. A convocação atende à decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que em agosto do ano passado rejeitou recurso do Município e determinou que os concursados fossem empossados. Até então, a prefeitura vinha protelando, através de recursos.

Segundo o edital de convocação judicial publicado no Diário Oficial do Município, no último sábado, 15. Nele, o presidente da FME e secretário municipal de Educação, Bira Marques, convoca os aprovados no concurso público, conforme decisão de processo judicial movido em 2010 pelos profissionais.

Dos 64, 53 serão empossados para o cargo de Professor 1 – 24 horas. Três deles, para o cargo de Professor II – Língua Portuguesa – 22 horas; Três para o de Professor II – Língua Inglesa – 16 horas; Dois para o de Professor II – Matemática – 22hs; Um para Professor II- Artes – 22hs; Um para Professor II – Educação Física – 16hs e outro para o de Professor II – História – 22hs.

Os convocados para o cargo de Professo I devem comparecer ao Auditório da FME, na Rua Visconde de Uruguai, 414, no Centro, para a entrega de documentos às 9 horas desta terça-feira, 18.. Já os demais, no mesmo dia e local, mas, às 13 horas. Os documentos a serem entregues (original e cópia) são: RG; comprovante de escolaridade mínima, devidamente registrado; título de eleitora com comprovante de votação/justificativa da última eleição ou declaração original de quitação com as obrigações eleitorais; CPF; CPF do cônjugue ou companheiro, se houver; certificado de reservista ou documento equivalente; comprovante de inscrição no PIS/PASEP se for cadastrado; comprovante de residência; cópia da declaração de bens encaminhada à Receita Federal relativa ao último exercício fiscal; registro profissional no conselho correspondente ao cargo e comprovante de quitação com o órgão de classe correspondente (somente para Professor II, disciplina Educação Física) e uma foto 3 x 4 recente.

Além dos documentos, todos os convocados deverão trazer resultados de exames clínicos pedidos no D.O. Estes serão de inteira responsabilidade dos candidatos. Os aprovados para o cargo de Professor I devem ir à FME no dia 10 de agosto, às 9 horas para a escolha das vagas e os demais, no mesmo dia e local, às 13 horas.

A escolha das vagas obedecerá a ordem classificatória. O candidato que não comparecer no horário estabelecido no edital fará a escolha de vaga após o último convocado presente, nas vagas restantes, comparecendo na Superintendência de Gestão de Pessoas em até 30 dias, caso contrário será considerado desistente.

A professora Alexandra Alencar, uma das que foi aprovada no concurso e que lutou pela convocação da categoria na Justiça, comemora e espera que o restante dos aprovados seja convocado. Acusa ainda o Sindicato Estadual dos Profissionais de Ensino (Sepe), Núcleo Niterói, de não ter se empenhado muito no caso.

“Amanhã (18), a nossa ideia é ir lá, no horário da posse já, com alguns cartazes. Liguei para o STJ e o STF. Foi uma loucura. No STJ estava parado. Mas, não desistimos”, relata a professora.

Procurado, o Sepe-Niterói disse que a direção pedirá, novamente, uma Audiência ao Governo, para tentativa de planear um acordo sobre a dimensão das convocações.

“A princípio, defendemos a convocação de todos. Queremos saber quais critérios o Governo está adotando ao fazer a convocação deste final de semana. O Governo não peticionou na execução da ação, até o momento, sobre o que fez. Nosso Jurídico peticionará na ação”, disse Diogo Oliveira, um dos coordenadores do sindicato.

A Prefeitura de Niterói ainda não informou quando convocará os demais aprovados no concurso público de 2008.

Histórico do caso:

No dia 1º de março deste ano, a 10ª Vara Cível de Niterói concedeu prazo de 15 dias para a prefeitura convocar os 200 aprovados no concurso. Em caso de descumprimento, o Município pagaria multa diária em valor a ser estipulado pelo juízo. Porém, a prefeitura veio protelando com recursos.

Em 7 de julho de 2022, o ministro André Mendonça, do Supremo Tribunal Federal (STF), em decisão monocrática, rejeitara recurso extraordinário impetrado pela Prefeitura de Niterói e validara resultado do concurso público da Educação, realizado em 2008, em que foram aprovados 200 candidatos para trabalharem nas 93 escolas da rede pública municipal. A validade do concurso era até maio de 2010. Até hoje, a prefeitura vinha trabalhando com profissionais em regime de contratação temporária.

Em 2010, o Sepe entrou com ação na 10ª Vara Cível de Niterói, que deu ganho de causa ao sindicato. A prefeitura recorreu ao Tribunal de Justiça do Rio, mas, em 18 de julho de 2015 rejeitou o colegiado do órgão rejeitou o curso por unanimidade. Ao mesmo órgão, a prefeitura recorreu outras quatro vezes, sempre perdendo. Em dezembro de 2021, o Superior Tribunal de Justiça decidiu ir contra a Prefeitura até o processo chegar ao STF em 2018.