Ouça agora

Ao vivo

Vítima morta durantge comício de Donald Trump é identificada
Destaque
Vítima morta durantge comício de Donald Trump é identificada
Morre escritor e jornalista Sérgio Cabral Santos aos 87 anos
Destaque
Morre escritor e jornalista Sérgio Cabral Santos aos 87 anos
FBI identifica atirador que tentou matar Donald Trump
Destaque
FBI identifica atirador que tentou matar Donald Trump
Donald Trump sofre atentado durante um comício de sua candidatura à presidência dos EUA
Destaque
Donald Trump sofre atentado durante um comício de sua candidatura à presidência dos EUA
Vestibular Uerj 2025: inscrições para o 2º Exame de Qualificação
Destaque
Vestibular Uerj 2025: inscrições para o 2º Exame de Qualificação
Julgamento de Alec Baldwin por homicídio culposo é anulado por ocultação de provas
Destaque
Julgamento de Alec Baldwin por homicídio culposo é anulado por ocultação de provas
Queimados promove quarta edição da Colônia de Férias no Horto
Baixada Fluminense
Queimados promove quarta edição da Colônia de Férias no Horto

PGR pede ao STF primeiras condenações de réus por atos de 8 de janeiro

Até julho, STF há havia recebido denúncias contra 1290 pessoas. Crimes dos denunciados incluem associação criminosa armada e dano qualificado, cujas penas podem chegar a 30 anos
Foto: Divulgação

A Procuradoria-Geral da República pediu nesta segunda-feira (7) ao Supremo Tribunal Federal as primeiras condenações dos réus dos atos golpistas do 8 de janeiro.

A PGR defende a condenação de quarenta réus por crimes como associação criminosa armada, abolição violenta do Estado Democrático de Direito, dano qualificado pela violência e grave ameaça, com emprego de substância inflamável, contra o patrimônio da União e com considerável prejuízo para a vítima. Somadas, as penas podem chegar a 30 anos de prisão.

Nas alegações finais, a Procuradoria sustenta que houve uma “estruturação preliminar dos atos golpistas antes do dia 8 de janeiro, sendo que havia um propósito deliberado de tomada do poder”.

“A forma como agiram os invasores demonstrou, de um lado, a estruturação do grupo criminoso e, de outro, a fragilidade da contenção imposta pela PMDF, notadamente em razão da ausência do efetivo policial necessário para impedir o avanço da turba”, aponta o documento.

O STF já abriu processos penais contra 1.290 acusados de participação nos atos de depredação de sedes dos Três Poderes, em Brasília.

As denúncias, divididas em oito blocos, foram apresentadas desde abril. Em todos os casos julgados, até agora, o STF decidiu – por maioria – tornar réus os participantes dos ataques.