Ouça agora

Ao vivo

Vítima morta durantge comício de Donald Trump é identificada
Destaque
Vítima morta durantge comício de Donald Trump é identificada
Morre escritor e jornalista Sérgio Cabral Santos aos 87 anos
Destaque
Morre escritor e jornalista Sérgio Cabral Santos aos 87 anos
FBI identifica atirador que tentou matar Donald Trump
Destaque
FBI identifica atirador que tentou matar Donald Trump
Donald Trump sofre atentado durante um comício de sua candidatura à presidência dos EUA
Destaque
Donald Trump sofre atentado durante um comício de sua candidatura à presidência dos EUA
Vestibular Uerj 2025: inscrições para o 2º Exame de Qualificação
Destaque
Vestibular Uerj 2025: inscrições para o 2º Exame de Qualificação
Julgamento de Alec Baldwin por homicídio culposo é anulado por ocultação de provas
Destaque
Julgamento de Alec Baldwin por homicídio culposo é anulado por ocultação de provas
Queimados promove quarta edição da Colônia de Férias no Horto
Baixada Fluminense
Queimados promove quarta edição da Colônia de Férias no Horto

PF apreende celular de Wassef

Há suspeitas de que Wassef possa ter adquirido o relógio em dinheiro a pedido de Mauro Cid
Imagem: Reprodução

A Polícia Federal apreendeu nesta quarta-feira (16), o celular do advogado Frederick Wassef em um restaurante de São Paulo, seguindo um mandado do Supremo Tribunal Federal (STF). A PF também está buscando armas ilegais ligadas ao advogado. Wassef é alvo de investigação ligada ao caso das supostas propinas ou presentes recebidos pelo ex-presidente Jair Bolsonaro. Alguns desses itens foram vendidos posteriormente.

Publicamente, Wassef confirmou ter recomprado um relógio Rolex, originalmente presente da Arábia Saudita a Bolsonaro. A origem dos recursos e a legalidade das transações têm gerado especulações, já que ele afirmou ter pago 60 mil dólares para adquirir o relógio e entregá-lo ao TCU. Conversas privadas revelaram que Wassef mencionou ter feito um “favor a um terceiro”, destacando as complexidades do caso e as relações entre as partes envolvidas. A reação de Wassef em relação à ação da PF ainda não foi divulgada.

Há suspeitas de que Wassef possa ter adquirido o relógio em dinheiro a pedido de Mauro Cid, supostamente por solicitação de Bolsonaro.