Ouça agora

Ao vivo

Comando de Polícia Rodoviária registra queda no número de acidentes com vítimas fatais durante o feriado de São Jorge
Destaque
Comando de Polícia Rodoviária registra queda no número de acidentes com vítimas fatais durante o feriado de São Jorge
Alerj aprova projeto para ampliar combate ao trabalho análogo à escravidão
Política
Alerj aprova projeto para ampliar combate ao trabalho análogo à escravidão
Prefeitura do Rio promove consulta pública sobre concessão de parques municipais
Rio de Janeiro
Prefeitura do Rio promove consulta pública sobre concessão de parques municipais
Maricá recebe prêmio destaque do artesanato na 16ª Rio Artes
Maricá
Maricá recebe prêmio destaque do artesanato na 16ª Rio Artes
Passagem de carretas interditará descida da serra de Petrópolis na madrugada de 25/04
Estado
Passagem de carretas interditará descida da serra de Petrópolis na madrugada de 25/04
Cidades do Rio podem ganhar “Café do Trabalhador”
Política
Cidades do Rio podem ganhar “Café do Trabalhador”
CBF divulga data e horário dos jogos da terceira fase da Copa do Brasil
Esportes
CBF divulga data e horário dos jogos da terceira fase da Copa do Brasil

Pesquisa IBGE aponta que homens ganhavam, em 2021, 16,3% a mais que mulheres

O estudo mostra que em 2021, os homens receberam, em média, R$ 3.484,24, enquanto as mulheres, R$ 2.995,07.
Foto: Divulgação

Pesquisa Cadastro Central de Empresas (Cempre), divulgada nesta quarta-feira (21) pelo IBGE, aponta que homens eram a maioria entre os empregados por empresas e tinham uma média salarial 16,3% maior que as mulheres em 2021.

O estudo mostra em 2021, os homens receberam, em média, R$ 3.484,24, enquanto as mulheres, R$ 2.995,07. O salário médio pago pelas empresas teve queda em 2021, passando de R$ 3.353,07 para R$ 3.266,53.

Apesar da desigualdade, o levantamento sinalizou que a participação feminina no mercado de trabalho voltou a crescer, depois de ter recuado no primeiro ano da pandemia de covid-19, no ano de 2020. Em 2021, a participação feminina no mercado cresceu de 44,3% para 44,9%. Os homens ocupavam 55,1% dos postos de trabalho nas empresas.

A série histórica, que foi iniciada em 2009, evidencia um avanço gradual da participação feminina entre os funcionários das empresas. No primeiro ano da pesquisa, as mulheres ocupavam 41,9% das vagas, três pontos percentuais a menos.