Ouça agora

Ao vivo

Putin faz exigências para “negociar a paz” com a Ucrânia após encontro do G7
Mundo
Putin faz exigências para “negociar a paz” com a Ucrânia após encontro do G7
Justiça considera ilegal greve dos educadores de Macaé
Norte Fluminense
Justiça considera ilegal greve dos educadores de Macaé
Governo do estado cria Observatório do Feminicídio
Estado
Governo do estado cria Observatório do Feminicídio
Polícia Militar expande programas de polícia de proximidade na zona sul
Rio de Janeiro
Polícia Militar expande programas de polícia de proximidade na zona sul
Prédio no Centro Histórico de Petrópolis é destruído por incêndio
Região Serrana
Prédio no Centro Histórico de Petrópolis é destruído por incêndio
Termina hoje prazo para inscrição no Enem
Destaque
Termina hoje prazo para inscrição no Enem
RS receberá caravana do governo para garantir acesso a benefícios
Política
RS receberá caravana do governo para garantir acesso a benefícios

Parcela de R$ 120 milhões da SAF tem previsão de pagamento

Aporte financeiro está previsto para ser feito no dia 23 de setembro, mais de um mês após o fim da segunda janela de transferências.
Foto: Divulgação

Uma nova parcela dos R$ 700 milhões da venda do futebol do Vasco tem previsão de pagamento para o próximo dia 23 de setembro. A verba de R$ 120 milhões deve servir para pagar as dívidas contraídas pelo Vasco SAF – por exemplo, pelas compras de jogadores no início do ano – e também como espécie de termômetro de uma transação às voltas de desconfianças e na mira de críticas de torcedores.

Na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, o Vasco tem no contrato com a 777 Partners um dispositivo de proteção no caso de atraso superior a 30 dias desta nova parcela. A cláusula do contrato realizado entre a diretoria administrativa e a 777 prevê que o clube associativo recupere composição societária proporcional, o que significaria voltar a ser majoritário no futebol.

Apesar de a SAF do Vasco já deter o controle de 70% do futebol, os R$ 190 milhões – R$ 70 milhões do empréstimo anterior à assinatura e mais R$ 120 milhões da primeira parcela – repassados pela 777 representam 19% da SAF vascaína. Isto porque considera-se que o Vasco tem valor estimado total de R$ 1 bilhão – com 70% vendidos por R$ 700 milhões.

O Vasco, no contrato, detém 30% desta composição societária. Mas, em caso de atraso dos aportes superior a 30 dias, a cláusula prevê esta “recuperação”.

Ou seja, o Vasco SAF, hoje, tem 19% contra o restante do Vasco associativo. O repasse efetivo de percentual se dá de acordo com o cronograma de pagamentos.

Próximos três anos: 

2022: R$ 70 milhões (empréstimo) + R$ 120 milhões. Estes já feitos
2023: R$ 120 milhões. Para entrar dia 23 de setembro.
2024: R$ 270 milhões.
2025: R$ 120 milhões (último aporte).

Hoje, apesar da evidente preocupação com os rumos do início da parceria – principalmente pelos resultados do futebol e as dívidas com clubes que fizeram negócio com o Vasco -, a confiança em São Januário é plena de que o investidor vai arcar com o pagamento de R$ 120 milhões.

Mas a reportagem da revista norueguesa “Josimar Football” provocou novos contatos da diretoria de Jorge Salgado com os dirigentes da 777 de fora do Brasil.