Ouça agora

Ao vivo

Comando de Polícia Rodoviária registra queda no número de acidentes com vítimas fatais durante o feriado de São Jorge
Destaque
Comando de Polícia Rodoviária registra queda no número de acidentes com vítimas fatais durante o feriado de São Jorge
Alerj aprova projeto para ampliar combate ao trabalho análogo à escravidão
Política
Alerj aprova projeto para ampliar combate ao trabalho análogo à escravidão
Prefeitura do Rio promove consulta pública sobre concessão de parques municipais
Rio de Janeiro
Prefeitura do Rio promove consulta pública sobre concessão de parques municipais
Maricá recebe prêmio destaque do artesanato na 16ª Rio Artes
Maricá
Maricá recebe prêmio destaque do artesanato na 16ª Rio Artes
Passagem de carretas interditará descida da serra de Petrópolis na madrugada de 25/04
Estado
Passagem de carretas interditará descida da serra de Petrópolis na madrugada de 25/04
Cidades do Rio podem ganhar “Café do Trabalhador”
Política
Cidades do Rio podem ganhar “Café do Trabalhador”
CBF divulga data e horário dos jogos da terceira fase da Copa do Brasil
Esportes
CBF divulga data e horário dos jogos da terceira fase da Copa do Brasil

ONU adota primeiro tratado do mundo para proteger biodiversidade em alto mar

O pacto é um elemento importante nos esforços para colocar 30% das terras e mares do mundo sob proteção ambiental até 2030.
Foto: Reprodução

Nesta segunda-feira (19), a Organização das Nações Unidas (ONU) adotou o primeiro tratado do mundo para proteger o alto mar e preservar a biodiversidade marinha em águas internacionais, um marco após quase 20 anos de esforços, anunciou o secretário-geral da ONU, António Guterres.

A adoção ocorreu após um acordo alcançado em março por mais de 100 países sobre o texto do Tratado dos Altos Mares, também conhecido como tratado de Biodiversidade Além da Jurisdição Nacional, após mais de 15 anos de discussões e cinco rodadas de negociações lideradas pela ONU.

Ao aprovar o texto, os Estados-membros “injetaram nova vida e esperança para dar ao oceano uma chance de lutar”, disse Guterres em um comunicado.

O acordo estará aberto para assinatura em Nova York por dois anos a partir de 20 de setembro, dia seguinte à cúpula sobre as metas de desenvolvimento sustentável da ONU.

O tratado entrará em vigor depois que 60 países ratificarem o acordo, de acordo com a ONU.

O pacto é um elemento importante nos esforços para colocar 30% das terras e mares do mundo sob proteção ambiental até 2030, uma meta estabelecida em dezembro.

Entre outras disposições, o acordo juridicamente vinculativo regeria o compartilhamento dos benefícios derivados de recursos genéticos marinhos para além das jurisdições nacionais, criando áreas protegidas em alto mar e estabelecendo um quadro para avaliar danos ambientais.