Ouça agora

Ao vivo

Putin faz exigências para “negociar a paz” com a Ucrânia após encontro do G7
Mundo
Putin faz exigências para “negociar a paz” com a Ucrânia após encontro do G7
Justiça considera ilegal greve dos educadores de Macaé
Norte Fluminense
Justiça considera ilegal greve dos educadores de Macaé
Governo do estado cria Observatório do Feminicídio
Estado
Governo do estado cria Observatório do Feminicídio
Polícia Militar expande programas de polícia de proximidade na zona sul
Rio de Janeiro
Polícia Militar expande programas de polícia de proximidade na zona sul
Prédio no Centro Histórico de Petrópolis é destruído por incêndio
Região Serrana
Prédio no Centro Histórico de Petrópolis é destruído por incêndio
Termina hoje prazo para inscrição no Enem
Destaque
Termina hoje prazo para inscrição no Enem
RS receberá caravana do governo para garantir acesso a benefícios
Política
RS receberá caravana do governo para garantir acesso a benefícios

ONG no Rio transforma caixas de leite em mantas térmicas para moradores em situação de rua

‘A Nova Chance’ distribui os cobertores costurados nas ruas da cidade e pede doações de embalagens higienizadas.
Foto: Reprodução

Moradores de rua do Rio de Janeiro recebem mantas térmicas feitas através da reciclagem de caixas de leite.

A fundadora da ONG “A Nova Chance”, Juliana Telles, viu a ideia na internet e descobriu que suas mantas duram mais que cobertores comuns.

“É só colocar a parte estampada no chão e deitar, que o calor do corpo aquece”, descreveu Juliana. Outra vantagem, segundo ela, é poder enrolar o cobertor para que não ocupe espaço.

O trabalho é simples, com 18 caixas é possível fazer uma manta para uma pessoa, basta pegar embalagens higienizadas, abri-las e costurá-las.

Transformando “dor” em solidariedade 

A vontade de ajudar outras pessoas, veio após uma perda pessoal de Juliana. Em 2016, o irmão de Juliana, que morava com ela, cometeu suicídio. Ao lembrar do episódio, Juliana gostaria de ter tido a oportunidade de ajudá-lo. “Ele morava comigo, e eu não vi o quão doente ele estava”. Desde então, ela passou a “enxergar pessoas em situação de rua com outro olhar”.

“A gente tem que entender que ali são filhos de outras pessoas, são seres humanos como nós, que passaram por um trauma, alguma violência, alguma depressão. Muitos não chegam às ruas por conta da dependência química. Aí eu resolvi dar da visibilidade a essa população tão invisível”, explicou.

Juliana transformando as caixas de leite nas mantas térmicas. Foto: Reprodução

Contagiando positivamente outras pessoas

Leo e Daniel já estiveram em situação de rua e hoje atuam como voluntários, ajudando Juliana há 3 anos.

“Sozinho, ninguém consegue sair dali. Eu saí, mas eu sei a real importância que é um projeto social. É através de uma ONG que muitas vezes a gente recebe aquele único bom dia”, recordou Léo Motta.

O projeto ainda atua com a emissão de documentos e a doação de lanches.

Você também pode ajudar 

A ONG recebe tanto doações em dinheiro, via Pix, quanto caixas de leite higienizadas com água e sabão — não é necessário cortá-las.

Pontos de coleta

  • Barra da Tijuca

Contato: Soraya

Telefone: (21) 97625-9366

  • Copacabana

Contato: Juliana Telles

Telefone e chave Pix: (21) 96714-8663

  • Engenho da Rainha

Contato: Ana Paula

Telefone: (21) 98292-2235

  • Itaguaí (Vila Margarida)

Contato: Elaine

Telefone: (21) 96523-7120

  • Laranjeiras

Contato: Cláudia

Telefone: (21) 99969-1755

  • Madureira

Contato: Vera

Telefone: (21) 98135-6490