Ouça agora

Ao vivo

Procon e Conselho de Veterinária fazem fiscalização e interditam clínicas na zona norte do Rio
Estado
Procon e Conselho de Veterinária fazem fiscalização e interditam clínicas na zona norte do Rio
Governo se reúne com professores e servidores federais em greve para discutir revisão de carreira
Destaque
Governo se reúne com professores e servidores federais em greve para discutir revisão de carreira
Rio das Ostras e Senac RJ oferecem curso gratuito no setor de Gastronomia
Costa do Sol
Rio das Ostras e Senac RJ oferecem curso gratuito no setor de Gastronomia
Workshop de atendimento segue com inscrições abertas
Angra dos Reis
Workshop de atendimento segue com inscrições abertas
Maricá lança ferramenta de segurança nas escolas
Maricá
Maricá lança ferramenta de segurança nas escolas
Nova Iguaçu recebe mais uma edição da Festa de São Jorge
Nova Iguaçu
Nova Iguaçu recebe mais uma edição da Festa de São Jorge
Governador Cláudio Castro nomeia novo secretário de Polícia Militar
Estado
Governador Cláudio Castro nomeia novo secretário de Polícia Militar

Mulher será indenizada após ser convocada por engano em concurso do IBGE

Ela foi convocada para assumir a vaga em 15 de agosto de 2022, com início para o dia 28 do mesmo mês
Foto: Reprodução

Uma jovem de Santa Catarina deve receber uma indenização de R$ 31 mil após ser convocada por engano em um concurso do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em Braço do Norte, no Sul de Santa Catarina. A decisão é da 1ª Vara Federal de Tubarão, na mesma região.

Ela participou de seleção de março de 2019. A remuneração prevista era de R$ 3,1 mil, quase o dobro do que ela recebia na época de: R$ 1,7 mil.

Ela foi então convocada para assumir a vaga em 15 de agosto de 2022, com início das atividades para o dia 28 do mesmo mês.

Dias antes de começar a trabalhar, um servidor avisou que ela não poderia ser nomeada, porque o concurso já tinha perdido a validade. A candidata já tinha demissão do emprego.

Conforme a juíza, “se o IBGE não tivesse convocado a parte autora, ela não teria pedido demissão do emprego”.

A jovem vai receber o equivalente a um ano de salário em seu emprego anterior, correspondendo a cerca de R$ 21 mil, mais R$ 10 mil pelos danos morais.

O IBGE informou, por meio de nota, que a decisão de interposição de recurso não compete ao órgão. “Caberá à Advocacia Geral da União (AGU), quando for intimada da decisão”, disse.