Ouça agora

Ao vivo

Dia Mundial sem Tabaco é lembrado em Macaé
Norte Fluminense
Dia Mundial sem Tabaco é lembrado em Macaé
Maratona do Rio 2024 começa nesta quinta-feira com recorde de inscritos
Rio de Janeiro
Maratona do Rio 2024 começa nesta quinta-feira com recorde de inscritos
Prefeitura de Maricá divulga programação de Corpus Christi
Maricá
Prefeitura de Maricá divulga programação de Corpus Christi
Paraty e Angra dos Reis recebem lançamento de livro sobre a Costa Verde
Angra dos Reis
Paraty e Angra dos Reis recebem lançamento de livro sobre a Costa Verde
Prazo para adesão ao Desenrola Fies é prorrogado até 31 de agosto
Destaque
Prazo para adesão ao Desenrola Fies é prorrogado até 31 de agosto
Estudantes de Caxias ganham nova escola municipal bilíngue
Baixada Fluminense
Estudantes de Caxias ganham nova escola municipal bilíngue
Ocupação hoteleira na Região dos Lagos deve ultrapassar os 75% durante o feriadão de Corpus Christi
Costa do Sol
Ocupação hoteleira na Região dos Lagos deve ultrapassar os 75% durante o feriadão de Corpus Christi

Ministério Público avança sobre supostas irregularidades ambientais em Cabo Frio

A Praia do Peró virou alvo de ocupações irregulares que podem ameaçar a certificação internacional de qualidade ambiental do espaço. Um parecer técnico da Secretaria de Meio Ambiente de Cabo Frio, recomendou a paralisação das obras de alargamento da Praia das Palmeiras.
Foto: Reprodução

O Ministério Público Federal deu continuidade a duas investigações sobre supostas irregularidades ambientais em Cabo Frio. A primeira trata da famosíssima Praia do Peró e a segunda da Praia das Palmeiras.

Portadora da bandeira Azul, a Praia do Peró virou alvo de ocupações irregulares que podem ameaçar a certificação internacional de qualidade ambiental do espaço. O MPF pediu explicações da Prefeitura de Cabo Frio sobre a colocação irregular de mesas e cadeiras na faixa de areia, assim como a falta de lixeiras na praia.

O outro despacho do MPF referenda um parecer técnico da Secretaria de Meio Ambiente de Cabo Frio, que recomendou a paralisação das obras de alargamento da Praia das Palmeiras.

O projeto, que está sendo realizado pelo Inea e pela Secretaria de Obras e Serviços Públicos, prevê a aplicação de 18 metros cúbicos de areia na praia. A secretaria afirmou que não tinha conhecimento da composição do material que está sendo dragado e depositado na margem da orla do bairro Palmeiras, e as obras devem ser paralisadas até que as pendências sejam resolvidas.

O MPF determinou o envio do Procedimento Administrativo que embasou a realização das intervenções, além de indicar se há previsão de engorda da faixa de areia em outros locais do município. O Inea também foi oficiado para apresentar os estudos e projetos que embasaram a autorização.