Ouça agora

Ao vivo

PM prende homem com drogas em Macaé
Norte Fluminense
PM prende homem com drogas em Macaé
Segurança Presente resgata 42 pessoas de um suposto centro de reabilitação clandestino em Nova Iguaçu
Nova Iguaçu
Segurança Presente resgata 42 pessoas de um suposto centro de reabilitação clandestino em Nova Iguaçu
Anuário Brasileiro de Segurança Pública aponta redução das Mortes Violentas Intencionais no RJ
Destaque
Anuário Brasileiro de Segurança Pública aponta redução das Mortes Violentas Intencionais no RJ
Escola Municipal do Idoso está com inscrições abertas até o dia 23/07
Maricá
Escola Municipal do Idoso está com inscrições abertas até o dia 23/07
Colecionadores podem comprar selos em comemoração aos 50 anos da Hello Kitty
Destaque
Colecionadores podem comprar selos em comemoração aos 50 anos da Hello Kitty
Inscrições para o Prouni abrem nesta terça-feira (23)
Brasil
Inscrições para o Prouni abrem nesta terça-feira (23)
Cláudio Castro autoriza construção de três novos batalhões da PM
Destaque
Cláudio Castro autoriza construção de três novos batalhões da PM

Médicos e enfermeiros fazem homenagem a captação dos órgãos de estudante morta por ultraleve

Rins e fígado foram enviados para pacientes da fila de transplante
Foto: Reprodução

Os profissionais de saúde do Hospital Geral de Nova Iguaçu, aplaudiram quando foi feita a captação dos órgãos da estudante Caroline Kethlin de Almeida Ribeiro, de 22 anos, que teve morte cerebral após ser atingida por um ultraleve na pista do Aeroclube de Nova Iguaçu, no sábado (9/9).

O procedimento aconteceu na manhã desta segunda-feira(11) e terminou no começo da tarde. Caroline já tinha manifestado publicamente a vontade de doar os órgãos e seu desejo foi respeitada pela família da jovem.

Foram captados dois rins e o fígado, que foram levados imediatamente para pacientes que estão na fila de transplante do estado. Já o coração da estudante não pôde ser captado devido ao tempo de viabilidade do órgão, que precisa ser retirado e transplantado em até 4h. A logística e o fato de não ter o receptor compatível com as caracterísicas de Caroline na fila de espera prejudicaram esse procedimento.

Caroline Ribeiro vai ser sepultada na terça-feira (12), às 16h, no Cemitério Parque Jardim, de Mesquita, na Baixada Fluminense.

A estudante Caroline Ribeiro era aluna da Escola Preparatória de Cadetes do Exército (EsPCEx) e foi atingida quando praticava esportes na pista do Aeroclube de Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.

Ela deu entrada no Hospital Geral de Nova Iguaçu (HGN) em estado grave, foi internada no Centro de Terapia Intensiva (CTI), mas na tarde do domingo (10), o hospital constatou a morte cerebral da estudante.

Caroline estudava em Campinas, no interior de São Paulo, e passava o feriado de Independência com a família em Nova Iguaçu. O caso foi registrado na 58ª DP (Posse), que investiga o acidente.

De acordo com as primeiras informações, Caroline corria no aeroclube quando a aeronave perdeu o eixo da pista e a atingiu.

O delegado José Mário Salomão de Omena, titular da 58ª DP, vai realizar uma perícia com a utilização de um drone para sanar as dúvidas do caso e também quer saber se o local estava liberado para voos e se a jovem poderia caminhar no local.

“Ali foi uma sucessão de erros e temos que detalhar todos eles”, destacou.

Em nota, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) informou que o Aeroclube de Nova Iguaçu não é certificado pela entidade para oferta de cursos de formação de pilotos nem consta no cadastro de aeródromos privados da Agência.

Já a Força Aérea Brasileira (FAB) disse que investigadores do Terceiro Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa III), ligado ao Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa), foram acionados para realizar a Ação Inicial da ocorrência no Aeroclube de Nova Iguaçu.

E que “a conclusão das investigações terá o menor prazo possível, dependendo sempre da complexidade de cada ocorrência e, ainda, da necessidade de descobrir os possíveis fatores contribuintes”.

Em nota, a Escola Preparatória de Cadetes do Exército (EsPCEx) lamentou a morte de Caroline Kethlin.