Ouça agora

Ao vivo

Dia Mundial sem Tabaco é lembrado em Macaé
Norte Fluminense
Dia Mundial sem Tabaco é lembrado em Macaé
Maratona do Rio 2024 começa nesta quinta-feira com recorde de inscritos
Rio de Janeiro
Maratona do Rio 2024 começa nesta quinta-feira com recorde de inscritos
Prefeitura de Maricá divulga programação de Corpus Christi
Maricá
Prefeitura de Maricá divulga programação de Corpus Christi
Paraty e Angra dos Reis recebem lançamento de livro sobre a Costa Verde
Angra dos Reis
Paraty e Angra dos Reis recebem lançamento de livro sobre a Costa Verde
Prazo para adesão ao Desenrola Fies é prorrogado até 31 de agosto
Destaque
Prazo para adesão ao Desenrola Fies é prorrogado até 31 de agosto
Estudantes de Caxias ganham nova escola municipal bilíngue
Baixada Fluminense
Estudantes de Caxias ganham nova escola municipal bilíngue
Ocupação hoteleira na Região dos Lagos deve ultrapassar os 75% durante o feriadão de Corpus Christi
Costa do Sol
Ocupação hoteleira na Região dos Lagos deve ultrapassar os 75% durante o feriadão de Corpus Christi

Marta se desespera no banco com gol e joga só 14 minutos

Reserva neste sábado, craque vê a rival abrir o placar, comemora empate, e mais uma vez, entra só no fim. Recorde com gols em seis Copas do Mundo é adiado

Marta não esconde as emoções. Leva as mãos ao rosto, tem o semblante fechado e o olhar vidrado no gramado, enquanto o observa o Brasil sair atrás da França ainda no primeiro tempo do duelo pela Copa do Mundo Feminina. Em um momento de nervosismo, tensa com o resultado parcial, ainda grita de frustração na beira do campo. Em campo, foram só 14 minutos.

O único momento de alívio para a camisa 10 foi quando viu a companheira Debinha mandar a bola para o fundo das redes e empatar o confronto: 1 a 1. Ela entrou aos 40 minutos do segundo tempo, pouco depois do segundo gol da França, e mais uma vez passou em branco.

As francesas dominaram o primeiro tempo, investindo em lances aéreos, e não à toa abriram o placar dessa forma, com a artilheira Le Sommer, aos 16 minutos. O Brasil, com menor posse de bola, teve menos chances e as poucas oportunidades que teve, terminou desperdiçando – como no chute de Adriana, aos 22 minutos. O que só aumentou o nervosismo da camisa 10 brasileira.

Não houve mudanças para o segundo tempo, mas o Brasil precisou de 12 minutos para mudar o placar, quando Kerolin arriscou o chute, travou na marcação, e a bola sobrou para Debinha balançar as redes e empatar: 1 a 1.

Marta atuou 15 minutos na estreia, na goleada contra o Panamá, e 14 minutos neste sábado. Nas suas cinco Copas do Mundo anteriores, a camisa 10 sempre havia mercado ao menos uma vez nas duas primeiras rodadas. Se balançar as redes na próxima rodada, a craque pode ser a primeira jogadora a fazer gols em seis Mundiais distintos.

Dos 46 países que enfrentou ao longo da carreira, há 43 que sofreram ao menos uma derrota para o Brasil com a camisa 10 em campo. As outras duas “invictas” são a Grã-Bretanha – que venceu a Seleção nas Olimpíadas de 2012 – e a da Finlândia, que empatou sem gols no Torneio da França de 2022. Foram os únicos jogos contra Marta até o momento.

Neste sábado, a Rainha começa no banco de reservas, assim como aconteceu na partida de estreia, contra o Panamá, uma vez que está retornando de lesão e tem recebido minutos aos poucos com a técnica Pia Sundhage.