Ouça agora

Ao vivo

Putin faz exigências para “negociar a paz” com a Ucrânia após encontro do G7
Mundo
Putin faz exigências para “negociar a paz” com a Ucrânia após encontro do G7
Justiça considera ilegal greve dos educadores de Macaé
Norte Fluminense
Justiça considera ilegal greve dos educadores de Macaé
Governo do estado cria Observatório do Feminicídio
Estado
Governo do estado cria Observatório do Feminicídio
Polícia Militar expande programas de polícia de proximidade na zona sul
Rio de Janeiro
Polícia Militar expande programas de polícia de proximidade na zona sul
Prédio no Centro Histórico de Petrópolis é destruído por incêndio
Região Serrana
Prédio no Centro Histórico de Petrópolis é destruído por incêndio
Termina hoje prazo para inscrição no Enem
Destaque
Termina hoje prazo para inscrição no Enem
RS receberá caravana do governo para garantir acesso a benefícios
Política
RS receberá caravana do governo para garantir acesso a benefícios

llha da Boa Viagem terá atrações interativas e será a primeira Ilha Museu do país

Conceito de museu está sendo desenvolvido em parceria com a UNESCO
Foto: Alex Ramos

A Prefeitura de Niterói deve concluir as obras na Ilha de Boa Viagem até o fim do mês de agosto. Por meio de uma parceria com a Unesco, desenvolvida pela Secretaria Municipal de Ações Estratégicas, o local deve ser a primeira ilha do país a ter o conceito de Ilha Museu, com experiências interativas desde a entrada da Ilha, criando um conceito de museu a céu aberto com várias atrações para os visitantes.

“A ideia é levar eventos e exposições para esse espaço que é uma joia da nossa cidade. O projeto vai aproveitar o potencial turístico, preservar as riquezas naturais e realçar o valor histórico e cultural da Ilha da Boa Viagem. Em breve estaremos com uma belíssima alternativa cultural para nossa cidade, para o turismo e para todos que vêm nos visitar”, afirmou o prefeito Axel Grael.

As obras na capela estão em estágio avançado, faltando apenas a finalização do piso, instalação da iluminação e pintura geral. A capela foi construída em 1650, com sua estrutura original em estilo colonial. Ela foi destruída durante a invasão francesa de 1711 e reconstruída em 1780, já seguindo um estilo neoclássico. O serviço de conservação e restauro incluiu adequação da instalação elétrica, colocação de ar-condicionado dentro da capela, nova iluminação e instalação de banheiros. Ao lado da igreja, está em andamento o conserto de um poço que se transformará em cisterna, dividida com água pluvial e potável para abastecer a igreja, o fortim e o castelo.

“O visitante vai ter, a partir da entrada da Ilha até chegar à Igreja, uma série de experiências museológicas interativas, que vão fazer com que o local como um todo seja um museu a céu aberto, com muitas atividades. Mais uma opção de lazer e de conhecimento. Uma iniciativa como esta abre uma cadeia produtiva e de geração de emprego e renda”, explica André Diniz, Secretário Municipal de Ações Estratégicas e Economia Criativa, que destaca que o conceito de Museu, bem como o projeto expográfico, estão sendo desenvolvidos a partir de uma consultoria com a Unesco.

O Fortim era uma bateria que servia, a princípio, de suporte para o Forte do Gragoatá. Quando as obras começaram, o local estava em ruínas. Foi restaurado a partir do que havia de vestígios da construção e se transformou em um espaço de contemplação. Além da pintura, drenagem e instalação de câmeras, teve o emboço recuperado e o piso recomposto em terracota.

No Castelo, que será a sede de um museu com uma sala de exposição e uma cafeteria, falta a instalação do piso e finalização do trabalho de pintura.

Todo o conjunto arquitetônico e paisagístico da Ilha da Boa Viagem é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). Devido à importância histórica da área e por seu grande potencial turístico, o município apresentou um projeto ao Iphan, que foi aprovado. A Prefeitura de Niterói assumiu a obra com recursos próprios, no valor de R$ 5,5 milhões.