Ouça agora

Ao vivo

Vítima morta durantge comício de Donald Trump é identificada
Destaque
Vítima morta durantge comício de Donald Trump é identificada
Morre escritor e jornalista Sérgio Cabral Santos aos 87 anos
Destaque
Morre escritor e jornalista Sérgio Cabral Santos aos 87 anos
FBI identifica atirador que tentou matar Donald Trump
Destaque
FBI identifica atirador que tentou matar Donald Trump
Donald Trump sofre atentado durante um comício de sua candidatura à presidência dos EUA
Destaque
Donald Trump sofre atentado durante um comício de sua candidatura à presidência dos EUA
Vestibular Uerj 2025: inscrições para o 2º Exame de Qualificação
Destaque
Vestibular Uerj 2025: inscrições para o 2º Exame de Qualificação
Julgamento de Alec Baldwin por homicídio culposo é anulado por ocultação de provas
Destaque
Julgamento de Alec Baldwin por homicídio culposo é anulado por ocultação de provas
Queimados promove quarta edição da Colônia de Férias no Horto
Baixada Fluminense
Queimados promove quarta edição da Colônia de Férias no Horto

Itamaraty lamenta assassinato de candidato à presidência do Equador

Três indivíduos armados realizaram disparos de metralhadoras. O caso aconteceu ontem
Imagem: Reprodução

Na noite de quarta-feira (9), o Ministério das Relações Exteriores emitiu um comunicado lamentando o falecimento de Fernando Villavicencio, candidato à presidência do Equador, que foi tristemente assassinado com três tiros na cabeça.

“Com profunda consternação, o governo brasileiro toma ciência do homicídio ocorrido em Quito, no dia 9 de agosto, que vitimou Fernando Villavicencio, candidato às eleições presidenciais no Equador. O governo brasileiro expressa sua confiança na identificação e responsabilização dos perpetradores deste ato lamentável, e envia suas sinceras condolências à família do candidato presidencial, assim como ao governo e ao povo equatoriano”, comunicou o Ministério.

Segundo informações preliminares, três indivíduos armados realizaram disparos de metralhadoras. Nove pessoas foram feridas, incluindo uma candidata à Câmara de Deputados e dois policiais.

No último registro em vídeo que mostra Villavicencio vivo, ele é visto saindo de um colégio onde um comício estava ocorrendo. Ele é acompanhado por policiais que o auxiliam a entrar em um veículo. Antes de a porta ser fechada, ouvem-se tiros e gritos.

O partido Movimiento Construye, ao qual Villavicencio era afiliado, relatou em uma rede social que a sede do partido foi alvo de um ataque realizado por homens armados.