Ouça agora

Ao vivo

Cláudio Castro se reúne com presidentes do Senado e da Câmara e defende regras mais duras para o combate ao crime
Destaque
Cláudio Castro se reúne com presidentes do Senado e da Câmara e defende regras mais duras para o combate ao crime
Governo cria sistema para emitir carteira para pessoa com TEA
Brasil
Governo cria sistema para emitir carteira para pessoa com TEA
Cantinas de prisões e hospitais penitenciários deixam de funcionar
Destaque
Cantinas de prisões e hospitais penitenciários deixam de funcionar
Estudantes de Maricá conquistam medalhas nos Jogos Escolares do Rio de Janeiro
Maricá
Estudantes de Maricá conquistam medalhas nos Jogos Escolares do Rio de Janeiro
Luiz Gonzaga será homenageado em Arraiá de Duque de Caxias
Destaque
Luiz Gonzaga será homenageado em Arraiá de Duque de Caxias
Coletivo Vista Minha Pele faz ação em Rio das Ostras
Costa do Sol
Coletivo Vista Minha Pele faz ação em Rio das Ostras
Angra reforça a atualização do CadÚnico
Angra dos Reis
Angra reforça a atualização do CadÚnico

Inea e Polícia Civil investigam origem da espuma que paralisou o sistema Guandu

Previsão da Cedae é que a estação volte a operar de forma gradativa até o fim do dia, normalizando totalmente o abastecimento em até 72 horas
Imagem: Reprodução - CEDAE

O Instituto Estadual do Ambiente (Inea) e a Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA) investigam a origem da espuma que apareceu no manancial do Rio Guandu, onde está localizada a captação da Estação de Tratamento de Água (ETA) do Guandu. Técnicos da Cedae identificaram, na madrugada desta segunda-feira (28), despejo irregular de surfactante, composto químico presente em detergentes, e interromperam imediatamente a captação e a produção de água para cerca de 11 milhões de pessoas na Região Metropolitana do Rio de Janeiro. A previsão de retomada da produção de água é até o fim do dia.

Em coletiva de imprensa realizada na manhã desta segunda-feira, o presidente da Cedae, Aguinaldo Ballon; o diretor de Saneamento e Grande Operação da companhia, Daniel Okumura; e o presidente do Inea, Philipe Campello, informaram que as equipes estão apurando a origem da ocorrência para que os responsáveis sejam penalizados, conforme a legislação.

“Temos 72 pontos de monitoramento de efluentes e estamos com uma equipe na área para saber se o lançamento continua ou se foi algo pontual. É um crime ambiental. Pode ter sido causado por alguma indústria da região ou por algum cidadão que decidiu descarregar esse produto na água. Inicialmente, estamos focados em detectar locais onde a substância pode ter sido lançada”, disse o presidente do Inea, Philipe Campello.

Por volta das 5h de hoje, a Cedae identificou a presença do material e adotou o protocolo de contingência, paralisando imediatamente a operação da estação para garantir a segurança hídrica.

“A gente entende que parar de produzir água não é o desejado, mas foi necessário para a segurança da população. Essa situação não é corriqueira. A gente pede a compreensão dos consumidores e que economizem água, fazendo uma reserva mínima”, destacou o diretor-presidente da Cedae, Aguinaldo Ballon.

Equipes da Cedae monitoram continuamente as condições do manancial até que a concentração deste material não represente risco.

“Adotamos o protocolo de contingência para garantir que a água com espuma não chegasse à população, interrompendo a captação e realizando a descarga da estação. Só vamos retomar a produção quando a água estiver de acordo com os padrões”, ressaltou o diretor de Saneamento e Grande Operação, Daniel Okumura.

A previsão é que a estação volte a operar de forma gradativa até o fim do dia, normalizando totalmente o abastecimento em até 72 horas.

“Devido às baixas temperaturas no Rio ao longo da semana, o sistema deve se recuperar mais rapidamente, já que o consumo da população é menor. Mesmo assim, a Cedae solicita aos consumidores que utilizem água de forma consciente, adiando tarefas não essenciais”, concluiu o diretor.

Estação de Tratamento do Guandu

A ETA Guandu é a maior estação de tratamento de água do mundo, com capacidade para tratar 43 mil litros de água por segundo, e atende 11 milhões de pessoas no Rio de Janeiro e grande parte da Baixada Fluminense.