Ouça agora

Ao vivo

Macaé ganha novas redes de esgoto na Aroeira
Norte Fluminense
Macaé ganha novas redes de esgoto na Aroeira
Itaipuaçu recebe evento Passaporte em Ação
Maricá
Itaipuaçu recebe evento Passaporte em Ação
Petrópolis tem 82 hectares de área queimada no primeiro semestre do ano
Destaque
Petrópolis tem 82 hectares de área queimada no primeiro semestre do ano
Eleições Municipais têm mulheres como maioria do eleitorado, revela TSE
Brasil
Eleições Municipais têm mulheres como maioria do eleitorado, revela TSE
Eduardo Paes lança candidatura à reeleição, mas ainda sem o nome do vice. Pedro Paulo é o preferido
Política
Eduardo Paes lança candidatura à reeleição, mas ainda sem o nome do vice. Pedro Paulo é o preferido
Prouni terá mais de 240 mil bolsas no segundo semestre
Brasil
Prouni terá mais de 240 mil bolsas no segundo semestre
Projeto de Judô transforma vida de 280 crianças em Japeri
Baixada Fluminense
Projeto de Judô transforma vida de 280 crianças em Japeri

Hospital Geral de Nova Iguaçu promove roda de conversa com funcionários sobre Setembro Amarelo

Com o tema "Abrindo os Olhos para o Setembro Amarelo", a roda de conversa tratou os cuidados com a saúde mental e a prevenção ao suicídio
Foto: Alziro Xavier / PMNI

Profissionais do Hospital Geral de Nova Iguaçu (HGNI) participaram, nesta segunda-feira (25), de uma roda de conversa sobre os cuidados com a saúde mental e a prevenção ao suicídio. Com o tema “Abrindo os Olhos para o Setembro Amarelo”, em alusão a campanha nacional que acontece ao longo deste mês, o evento abordou questões relacionadas a pessoas em situação de vulnerabilidade emocional, e a importância do acolhimento aos pacientes e funcionários que precisam de ajuda.

Por ser uma unidade que atende toda a Baixada Fluminense, região composta por 13 municípios, o Hospital Geral de Nova Iguaçu (HGNI) recebe pessoas vítimas de crises emocionais devido a problemas com a saúde mental. Nos últimos três meses foram registrados dez casos de tentativa de suicídio. O preparo das equipes é essencial para oferecer uma assistência qualificada não só ao paciente como aos seus familiares. Além dos cuidados médicos, a equipe de psicologia também oferece o suporte necessário.

“É um tema que deve ser sempre debatido para que as pessoas tenham informações e saibam que não estão sozinhas. Em Nova Iguaçu temos clínicas da família e unidades especializadas prontas para dar o suporte necessário para quem sofre com problemas relacionados à saúde mental”, destaca o secretário municipal de Saúde, Luiz Carlos Nobre Cavalcanti.

A conversa foi comandada pela psicóloga clínica Lucimá Gonçalves Dornelas, assessora técnica da superintendência de saúde mental, que pertence à Secretaria Municipal de Saúde (SEMUS). A profissional é especialista na área psicossomática e falou sobre a importância desse debate, principalmente em um hospital de emergência como o HGNI.

“Se torna uma porta de entrada para atendimentos emergenciais a pessoas que tentam o suicídio. Além do atendimento no hospital, esse paciente também passa a ser acompanhado externamente em ambulatórios de saúde mental”, explica.

Coordenadora da equipe de psicologia do HGNI, Ana Claudia Bello reiterou a importância de se debater temas sensíveis como a tentativa de suicídio com o objetivo de capacitar e preparar o profissional para atender esse paciente.

“Temos que conscientizar todas as equipes sobre esse tema. Falar disso, tirar do silêncio, porque esse é um tema que as pessoas têm preconceito em falar. O que a pessoa não fala, ela faz e esse é um pedido de socorro. Precisamos estar sempre atentos para oferecer a possibilidade desse paciente ser acompanhado”, conta.

As atividades relacionadas à campanha “Setembro Amarelo” também foram realizadas na Maternidade Mariana Bulhões em unidades básicas de saúde do município e de urgência e emergência.

Onde buscar ajuda

A cidade de Nova Iguaçu tem 21 unidades de saúde que fazem o acompanhamento em saúde mental. São ações conjuntas realizadas por consultas de psiquiatras, psicólogos e assistentes sociais. Há os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) para a população adulta e infanto-juvenil. A Unidade de Pronto Atendimento 24h (UPA) de Austin oferece suporte de emergência psiquiátrica.

Também é possível buscar ajuda através do número 188, do Centro de Valorização da Vida. O serviço é gratuito e funciona em todo o país com atendimento de voluntários. O anonimato e o sigilo são garantidos durante a ligação.