Ouça agora

Ao vivo

Dia Mundial sem Tabaco é lembrado em Macaé
Norte Fluminense
Dia Mundial sem Tabaco é lembrado em Macaé
Maratona do Rio 2024 começa nesta quinta-feira com recorde de inscritos
Rio de Janeiro
Maratona do Rio 2024 começa nesta quinta-feira com recorde de inscritos
Prefeitura de Maricá divulga programação de Corpus Christi
Maricá
Prefeitura de Maricá divulga programação de Corpus Christi
Paraty e Angra dos Reis recebem lançamento de livro sobre a Costa Verde
Angra dos Reis
Paraty e Angra dos Reis recebem lançamento de livro sobre a Costa Verde
Prazo para adesão ao Desenrola Fies é prorrogado até 31 de agosto
Destaque
Prazo para adesão ao Desenrola Fies é prorrogado até 31 de agosto
Estudantes de Caxias ganham nova escola municipal bilíngue
Baixada Fluminense
Estudantes de Caxias ganham nova escola municipal bilíngue
Ocupação hoteleira na Região dos Lagos deve ultrapassar os 75% durante o feriadão de Corpus Christi
Costa do Sol
Ocupação hoteleira na Região dos Lagos deve ultrapassar os 75% durante o feriadão de Corpus Christi

Governo do Estado quer estadualizar gestão do Hospital Federal da Lagoa para criar Instituto Estadual do Câncer

Pedido foi reforçado por Cláudio Castro em encontro com o presidente Lula. Nesta quarta, o secretário Dr. Luizinho detalhou o projeto ao Ministério da Saúde.
Foto: Reprodução

O Governo do Estado pediu ao Ministério da Saúde para estadualizar o Hospital Federal da Lagoa. O objetivo é transformá-lo no Instituto Estadual do Câncer do Rio de Janeiro, unidade especializada no diagnóstico e tratamento da doença. A proposta foi protocolada em janeiro deste ano e o pedido foi reforçado pelo governador Cláudio Castro em encontro com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em Brasília, na segunda-feira (12.06).

“A universalização do atendimento de oncologia no estado é uma meta da nossa gestão. Falei ao presidente sobre essa necessidade no Estado do Rio. Queremos que o Hospital Federal da Lagoa seja um grande centro oncológico. A iniciativa vai desafogar os atendimentos no INCA, que está acima de sua capacidade para atender a população. Essa é uma medida fundamental para a melhoria da saúde da nossa população”, destacou o governador.

Nesta quarta-feira (14), o secretário de Saúde do Rio de Janeiro, Dr. Luizinho, detalhou o projeto do estado ao secretário de Atenção Especializada do Ministério da Saúde, Helvécio Magalhães, em Brasília. Segundo o secretário, a proposta foi bem aceita e passará agora para a análise da área jurídica do ministério. Ele informou que o Estado do Rio de Janeiro tem caixa para fazer frente aos investimentos necessários para a implementação da iniciativa.

O objetivo da iniciativa é reduzir o tempo de espera das filas. Segundo o secretário, um dos maiores problemas no mundo todo são os casos oncológicos. Com o avanço tecnológico, estão sendo feitos mais diagnósticos de câncer. A inversão da pirâmide etária, com a população vivendo mais, também leva a uma incidência maior da doença. Com isso, surge a necessidade de que o Rio de Janeiro traga para si o protagonismo de estruturar o atendimento ao câncer.

O futuro Instituto Estadual do Câncer, estima a Secretaria de Estado de Saúde (SES-RJ), representaria um aporte entre R$ 250 milhões e R$ 300 milhões por ano, que seria gerido pela Fundação Saúde. Além da nova unidade, há a previsão de concluir até o fim do ano a construção do hospital especializado com 58 leitos em Nova Friburgo para atender os moradores da Região Serrana.

Outras duas unidades oncológicas serão instaladas: uma na Baixada Fluminense, já com o projeto pronto, o Instituto do Câncer da Baixada Fluminense, e outra na Zona Oeste do Rio, o Instituto Estadual do Câncer da Zona Oeste, em fase de escolha do local adequado para a implantação.