Ouça agora

Ao vivo

Vítima morta durantge comício de Donald Trump é identificada
Destaque
Vítima morta durantge comício de Donald Trump é identificada
Morre escritor e jornalista Sérgio Cabral Santos aos 87 anos
Destaque
Morre escritor e jornalista Sérgio Cabral Santos aos 87 anos
FBI identifica atirador que tentou matar Donald Trump
Destaque
FBI identifica atirador que tentou matar Donald Trump
Donald Trump sofre atentado durante um comício de sua candidatura à presidência dos EUA
Destaque
Donald Trump sofre atentado durante um comício de sua candidatura à presidência dos EUA
Vestibular Uerj 2025: inscrições para o 2º Exame de Qualificação
Destaque
Vestibular Uerj 2025: inscrições para o 2º Exame de Qualificação
Julgamento de Alec Baldwin por homicídio culposo é anulado por ocultação de provas
Destaque
Julgamento de Alec Baldwin por homicídio culposo é anulado por ocultação de provas
Queimados promove quarta edição da Colônia de Férias no Horto
Baixada Fluminense
Queimados promove quarta edição da Colônia de Férias no Horto

Governo cria a segunda escola indígena do Rio de Janeiro

Unidade em Paraty beneficiará alunos do Ensino Fundamental e é mais um passo na valorização da cultura guarani
Foto: Alexandre Cassiano / Agência O Globo

A partir de hoje, o Rio de Janeiro passa a contar com mais uma escola indígena. O governador Cláudio Castro autorizou a criação da Escola Indígena Estadual Guarani Tava Mirim, no município de Paraty, no Sul Fluminense. Ela oferecerá Ensino Fundamental, nas modalidades I e II, para 75 alunos. A decisão foi publicada no Diário Oficial desta quinta-feira (10/8).

Antes disso, ela funcionava como uma sala de extensão da primeira unidade do segmento, o Colégio Indígena Estadual Guarani Karai Kuery Renda, em Angra dos Reis, também no Sul Fluminense. Além dela, o colégio gerenciava outras duas salas de extensão, a Nhembo-e Renda, na aldeia de Rio Pequeno, e Karai Oca, na aldeia de Araponga. Todas as duas funcionam em Paraty, e, agora, estão vinculadas à unidade de Tava Mirim.

A conquista marca o Dia Internacional dos Povos Indígenas, comemorado no dia 9 de agosto, e é mais uma forma de valorização das tradições dos povos originários.

Voltada para a educação de jovens indígenas da aldeia de Paraty-Mirim e região, a abertura da escola atende a um pedido antigo da comunidade. E mais: representa um passo significativo na valorização das tradições culturais indígenas e na promoção de uma educação enriquecedora e inclusiva.

— Estamos diante de um avanço na forma como a educação é concebida no Rio de Janeiro. A Escola Indígena Estadual Guarani Tava Mirim reforça o compromisso do governador Cláudio Castro e da Seeduc-RJ com a diversidade cultural que caracteriza nossa região. E também reconhece a importância de proporcionar um ambiente educacional inclusivo e culturalmente relevante para nossos jovens indígenas — afirma a secretária de Estado de Educação, Roberta Barreto.

A criação é fruto do diálogo entre o governo estadual e os líderes indígenas. A parceria demonstra um compromisso com a educação em todo território fluminense, além de promover o respeito e a preservação das tradições culturais, abrindo caminho para o aprendizado e a valorização das tradições indígenas.