Ouça agora

Ao vivo

Vítima morta durantge comício de Donald Trump é identificada
Destaque
Vítima morta durantge comício de Donald Trump é identificada
Morre escritor e jornalista Sérgio Cabral Santos aos 87 anos
Destaque
Morre escritor e jornalista Sérgio Cabral Santos aos 87 anos
FBI identifica atirador que tentou matar Donald Trump
Destaque
FBI identifica atirador que tentou matar Donald Trump
Donald Trump sofre atentado durante um comício de sua candidatura à presidência dos EUA
Destaque
Donald Trump sofre atentado durante um comício de sua candidatura à presidência dos EUA
Vestibular Uerj 2025: inscrições para o 2º Exame de Qualificação
Destaque
Vestibular Uerj 2025: inscrições para o 2º Exame de Qualificação
Julgamento de Alec Baldwin por homicídio culposo é anulado por ocultação de provas
Destaque
Julgamento de Alec Baldwin por homicídio culposo é anulado por ocultação de provas
Queimados promove quarta edição da Colônia de Férias no Horto
Baixada Fluminense
Queimados promove quarta edição da Colônia de Férias no Horto

Flávio Serafini é o novo presidente do PSOL-RJ

O deputado foi eleito no último domingo, na sede do diretório, no Centro do Rio. O mandato é de dois anos
Foto: Divulgação

O deputado estadual Flávio Serafini foi eleito o novo presidente estadual do PSOL-RJ no último domingo, na sede do diretório, no Centro do Rio. O mandato é de dois anos

“Por um PSOL cada vez mais democrático, participativo e popular, na defesa de um programa ecossocialista, pautado nas lutas sociais, que enfrente o governo Cláudio Castro e a extrema direita em nosso estado”, escreveu o parlamentar, logo após o resultado do congresso.

Com 43 anos, casado e pai de dois filhos, Serafini é niteroiense e professor de Sociologia. Antes de de ser eleito deputado estadual pela primeira vez em 2014, foi professor pesquisador da Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio, da Fundação Oswaldo Cruz (EPSJV/Fiocruz). Ajudou a fundar o PSOL em 2005, sendo presidente do partido em Niterói por duas gestões (2008-2010 e 2012-2014).

Nas eleições municipais de 2012 no município, ficou em terceiro na briga pela prefeitura, com quase 50 mil votos, sendo 18,5% dos válidos. No pleito de 2014, foi eleito deputado estadual com 16.117 votos. Em sua atuação na Alerj, passou a integrar as Comissões Permanentes de Direitos Humanos, Educação, Meio Ambiente e Saúde e a CPI da Crise Hídrica. Propôs ainda a criação da Comissão Especial da Baía de Guanabara e a Frente Parlamentar em Defesa do Transporte Aquaviário.

Em 2016, disputou a Prefeitura de Niterói novamente, tendo obtido 47.069 votos e o terceiro lugar. Em 2017, votou contra a venda da Cedae na Alerj. Em 2018, foi reeleito com 61.754 votos. Foi presidente da Comissão de Educação de Educação na Alerj de 2019 a 2021. Em 2020, disputou pela terceira vez a prefeitura e ficou em 2º lugar, com 23.843 votos. Em 2022, foi reeleito deputado estadual com 71.258 votos.