Ouça agora

Ao vivo

Comando de Polícia Rodoviária registra queda no número de acidentes com vítimas fatais durante o feriado de São Jorge
Destaque
Comando de Polícia Rodoviária registra queda no número de acidentes com vítimas fatais durante o feriado de São Jorge
Alerj aprova projeto para ampliar combate ao trabalho análogo à escravidão
Política
Alerj aprova projeto para ampliar combate ao trabalho análogo à escravidão
Prefeitura do Rio promove consulta pública sobre concessão de parques municipais
Rio de Janeiro
Prefeitura do Rio promove consulta pública sobre concessão de parques municipais
Maricá recebe prêmio destaque do artesanato na 16ª Rio Artes
Maricá
Maricá recebe prêmio destaque do artesanato na 16ª Rio Artes
Passagem de carretas interditará descida da serra de Petrópolis na madrugada de 25/04
Estado
Passagem de carretas interditará descida da serra de Petrópolis na madrugada de 25/04
Cidades do Rio podem ganhar “Café do Trabalhador”
Política
Cidades do Rio podem ganhar “Café do Trabalhador”
CBF divulga data e horário dos jogos da terceira fase da Copa do Brasil
Esportes
CBF divulga data e horário dos jogos da terceira fase da Copa do Brasil

Ex-diretor acusa Faustão de cometer assédio moral durante tempo na Globo

Alberto Luchetti trabalhou como diretor do programa dominical entre 1998 e 2002.
Foto: Reprodução

Entre as várias polêmicas e mistérios da saída do Faustão da Globo, um ex-diretor do “Domingão do Faustão”, Alberto Luchetti Neto, deu um depoimento à “Veja” detalhando os possíveis problemas do programa e a conduta que o apresentador tinha com os funcionários da emissora.

Em entrevista à Veja, o ex-diretor comentou momentos polêmicos enquanto fazia parte de equipe de Fausto Silva. Luchetti contou que momento em que assumiu o cargo já começou a ouvir os rumores sobre a “personalidade difícil” do apresentador.

“Acho que ainda vai acontecer [processo judicial] com muita gente que se sente prejudicada por ter acompanhado ele [na Band]. Havia muito assédio moral. Ele tinha costume de esculhambar a produção no ar e de pedir desculpa no particular. Criticava o trabalho em rede nacional”, disse o ex-diretor. “Por exemplo, uma moça, Angela Sander, de tão perseguida por ele, tomou remédio e cometeu suicídio. Foi uma desgraça que a Globo tentou esconder por todos os meios. Eu já estava fora”, completou.

O ex-diretor também disse que Fausto Silva não é generoso e que as boas ações do apresentador são estratégias de autopromoção. “Fausto tem um grave defeito. Você está numa situação difícil, aí ele procura te ajudar… Só que depois pede para a assessoria divulgar que está te ajudando. Ele cansou de fazer isso com a Dercy Gonçalves”.

Além dos assédios, o apresentador também colocou vários membros da família no programa. “Teve o filho, mas é o que ele fazia com todo mundo. Pega o histórico do programa dele na Globo. Ele fez isso com o câmera-man, o Renato Laranjeira, que foi namorado da irmã dele”, completou.

Saída da Globo:

Na entrevista, o ex-diretor também comentou sobre a saída de Fausto Silva da TV Globo e ida para a Band. “Foi uma irresponsabilidade dele e da cúpula da Band”, declarou.

“Isso é uma irresponsabilidade dele e da cúpula da Band, de colocar um programa diário, no horário nobre, achando que o Faustão tinha o dinheiro da Globo. Ele achava que o dinheiro era dele, mas não. Tanto é que entrou um oportunista no lugar do Fausto, o Luciano Huck, e o dinheiro está lá do mesmo jeito. Quem tem a audiência e o dinheiro é a emissora. Ele não levou nem um nem outro”, finalizou.