Ouça agora

Ao vivo

Segurança Presente resgata 42 pessoas de um suposto centro de reabilitação clandestino em Nova Iguaçu
Nova Iguaçu
Segurança Presente resgata 42 pessoas de um suposto centro de reabilitação clandestino em Nova Iguaçu
Anuário Brasileiro de Segurança Pública aponta redução das Mortes Violentas Intencionais no RJ
Destaque
Anuário Brasileiro de Segurança Pública aponta redução das Mortes Violentas Intencionais no RJ
Escola Municipal do Idoso está com inscrições abertas até o dia 23/07
Maricá
Escola Municipal do Idoso está com inscrições abertas até o dia 23/07
Colecionadores podem comprar selos em comemoração aos 50 anos da Hello Kitty
Destaque
Colecionadores podem comprar selos em comemoração aos 50 anos da Hello Kitty
Inscrições para o Prouni abrem nesta terça-feira (23)
Brasil
Inscrições para o Prouni abrem nesta terça-feira (23)
Cláudio Castro autoriza construção de três novos batalhões da PM
Destaque
Cláudio Castro autoriza construção de três novos batalhões da PM
G20 inicia semana de encontros econômicos e sociais no Rio
Brasil
G20 inicia semana de encontros econômicos e sociais no Rio

Estado tem mais de 90 mil pequenas empresas focadas na economia criativa

Rio de Janeiro, Niterói, São Gonçalo, Duque de Caxias e Nova Iguaçu lideram o ranking
Imagem: Reprodução

Atualmente, quando se discute novos paradigmas de desenvolvimento que não se concentrem exclusivamente no crescimento econômico, a indústria criativa ganha destaque. Ela abrange a concepção, produção e distribuição de produtos e serviços baseados na criatividade. De acordo com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), no Estado, mais de 91,5 mil empresas estão relacionadas a esse setor, distribuídas da seguinte forma: 52,3 mil são Microempreendedores Individuais (MEI), 33,4 mil são microempresas e 5,7 mil são empresas de pequeno porte.

A indústria criativa é um conceito relativamente novo que combina economia e criatividade, tendo o capital intelectual como sua matéria-prima. Esse setor promove a integração entre inovação, tecnologia, cultura, criatividade e sustentabilidade. À medida que a economia criativa ganha mais espaço no mundo dos negócios, ela cria novas oportunidades no mercado de trabalho. De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD contínua) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil já conta com 7,4 milhões de trabalhadores nesse setor. Esse número pode aumentar para 8,4 milhões até 2030, gerando um milhão de novos empregos ao longo dos anos, de acordo com um estudo realizado pelo Observatório Nacional da Indústria (ONI), que é um centro de análise de dados da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

O conceito de economia criativa está se expandindo ainda mais para incluir a necessidade de inovação e criatividade na produção de conteúdo digital. Márcio Guerra, gerente-executivo do Observatório, observa que as profissões relacionadas à economia criativa devem experimentar um crescimento significativo, impulsionado pela cultura digital nos próximos anos.

Guerra enfatiza que o aumento no número de empregos na economia criativa ocorrerá tanto no mercado formal, com trabalhadores com carteira assinada, quanto no mercado informal. Ele destaca que isso será percebido por meio da média salarial, pois as funções relacionadas à economia criativa já são valorizadas no mercado de trabalho atual e tendem a se tornar ainda mais relevantes no futuro.

Segundo o Mapeamento da Indústria Criativa de 2022 da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), os profissionais criativos têm um salário médio de R$ 6.926, muito acima da média nacional, que é de R$ 2.924. Portanto, juntamente com o crescimento do mercado de trabalho, a média salarial dos profissionais desse setor também reflete o movimento de expansão.