Ouça agora

Ao vivo

Dia Mundial sem Tabaco é lembrado em Macaé
Norte Fluminense
Dia Mundial sem Tabaco é lembrado em Macaé
Maratona do Rio 2024 começa nesta quinta-feira com recorde de inscritos
Rio de Janeiro
Maratona do Rio 2024 começa nesta quinta-feira com recorde de inscritos
Prefeitura de Maricá divulga programação de Corpus Christi
Maricá
Prefeitura de Maricá divulga programação de Corpus Christi
Paraty e Angra dos Reis recebem lançamento de livro sobre a Costa Verde
Angra dos Reis
Paraty e Angra dos Reis recebem lançamento de livro sobre a Costa Verde
Prazo para adesão ao Desenrola Fies é prorrogado até 31 de agosto
Destaque
Prazo para adesão ao Desenrola Fies é prorrogado até 31 de agosto
Estudantes de Caxias ganham nova escola municipal bilíngue
Baixada Fluminense
Estudantes de Caxias ganham nova escola municipal bilíngue
Ocupação hoteleira na Região dos Lagos deve ultrapassar os 75% durante o feriadão de Corpus Christi
Costa do Sol
Ocupação hoteleira na Região dos Lagos deve ultrapassar os 75% durante o feriadão de Corpus Christi

Da lesão à ovação: a saga de Bruno Henrique até o grito de gol pelo Flamengo

Atacante ficou 10 meses parado até voltar a jogar em abril deste ano
Foto: Divulgação

O Flamengo venceu por 3 a 0 o Grêmio, neste domingo, no Maracanã, e saiu de campo ainda celebrando um importante gol de Bruno Henrique. O jogador fez o terceiro gol da vitória, o seu primeiro depois de um ano da lesão no joelho direito, que o afastou por longos meses do gramado.

O camisa 27 voltou a soltar o grito de gol depois de exatos 428 dias. A vez anterior foi em 9 de abril de 2022. Tanto tempo que fez a memória escapar.

– É um misto de emoção. Só Deus sabe o que eu passei. Voltei e ainda não estava no meu melhor momento. Mas depois da segunda vez que eu fiquei fora, cada dia mais jogando para pegar ritmo. Continuei trabalhando que as oportunidades vão aparecer. Aprendi a não desistir nunca. Eu vim lá de baixo. Não vai ser agora nesse momento de felicidade que vou lá para baixo de novo. Agradecer a nação por essa linda festa.

Desde então, foram muitos meses de recuperação e poucos minutos no campo de jogo. Cenário que deu mais emoção à vitória sobre o Grêmio, no último domingo, pela 10ª rodada do Brasileirão. A ponto de a reta final da partida se transformar em ovação ao jogador

– A espera foi válida. Meu filho tem quatro anos, entende de futebol e cobra bastante. Pergunta porque não entrei, porque não joguei. Eu, com o coração ferido, tendo que explicar que as coisas acontecem no tempo de Deus. Hoje, ele está aqui. O gol é muito gratificante, todo mundo quer fazer. Passa um filme da cabeça. Lembra do choro, das dores, das noites em claro acordado. Lembra o filho perguntando. Minha família sempre comigo ali na hora do choro e agora na alegria.