Ouça agora

Ao vivo

Rio das Ostras fecha ruas para oferecer mais segurança no Jazz e Blues
Costa do Sol
Rio das Ostras fecha ruas para oferecer mais segurança no Jazz e Blues
Defesa Civil de Macaé divulga comunicado sobre rajadas de vento na região
Norte Fluminense
Defesa Civil de Macaé divulga comunicado sobre rajadas de vento na região
Defesa Civil de Angra presta auxílio ao Rio Grande do Sul
Angra dos Reis
Defesa Civil de Angra presta auxílio ao Rio Grande do Sul
Assistência Social registra quase 3 mil atendimentos no mutirão do CadÚnico
Maricá
Assistência Social registra quase 3 mil atendimentos no mutirão do CadÚnico
Cinema e cultura popular são os destaques da semana no II Festival de Artes de Nova Iguaçu
Nova Iguaçu
Cinema e cultura popular são os destaques da semana no II Festival de Artes de Nova Iguaçu
Polícia Civil faz operação contra venda ilícita de cobre em diversas regiões do RJ
Estado
Polícia Civil faz operação contra venda ilícita de cobre em diversas regiões do RJ
Lojistas cariocas esperam aumento de 4% nas vendas para o 12 de Junho
Rio de Janeiro
Lojistas cariocas esperam aumento de 4% nas vendas para o 12 de Junho

Crise no IML do Rio: 11 mil exames sem conclusão desde 2012

Demora na emissão de laudos compromete investigações de envenenamento, consumo de álcool ou drogas por motoristas e casos de abuso sexual.
Imagem: Reprodução

Instituto Médico-Legal (IML) do Rio acumula mais de 11 mil exames sem conclusão desde 2012, revela levantamento.

o Instituto Médico-Legal (IML) localizado no Centro do Rio de Janeiro está enfrentando um grave problema de acúmulo de exames de toxicologia, patologia e hematologia. Mais de 11 mil desses exames estão parados desde 2012, aguardando análise.

Uma planilha contendo todos os pedidos feitos pelas delegacias dos 92 municípios do estado do Rio de Janeiro e por unidades especializadas, como as Delegacias da Mulher, revela a extensão do problema. Nos últimos meses, apenas 5% dos exames pendentes foram analisados, a maioria por ordem judicial.

No período de janeiro a março deste ano, por exemplo, havia 1.170 amostras de vísceras, sangue, urina e sêmen aguardando análise.

Curiosamente, apesar do grande número de laudos a serem produzidos, o governo estadual desistiu de construir um centro de pesquisas forenses, para o qual o governo federal havia destinado R$ 7 milhões. Esses 11.435 laudos em espera são complementares aos exames de necropsia e seriam fundamentais para comprovar questões como envenenamento, consumo de álcool ou drogas por motoristas envolvidos em acidentes de trânsito e abusos sexuais.

Desde agosto do ano passado, a situação vem se agravando ainda mais devido ao fechamento do Laboratório de Toxicologia para reformas. Os peritos estão trabalhando em uma sala improvisada para evitar uma paralisação completa. Atualmente, apenas um instrumento de cromatografia gasosa, responsável pelas análises, está em funcionamento, enquanto outro está inoperante há vários meses, conforme relatam os peritos do local.

Segundo informações de peritos e legistas do IML, houve uma reunião em que policiais da Corregedoria Interna da instituição sugeriram que eles entrassem em contato com as delegacias responsáveis pelos pedidos feitos há muito tempo para verificar a necessidade de realizar determinados exames, evitando o desperdício de materiais em laudos que provavelmente serão inconclusivos devido ao longo tempo de espera.