Ouça agora

Ao vivo

Dia Mundial sem Tabaco é lembrado em Macaé
Norte Fluminense
Dia Mundial sem Tabaco é lembrado em Macaé
Maratona do Rio 2024 começa nesta quinta-feira com recorde de inscritos
Rio de Janeiro
Maratona do Rio 2024 começa nesta quinta-feira com recorde de inscritos
Prefeitura de Maricá divulga programação de Corpus Christi
Maricá
Prefeitura de Maricá divulga programação de Corpus Christi
Paraty e Angra dos Reis recebem lançamento de livro sobre a Costa Verde
Angra dos Reis
Paraty e Angra dos Reis recebem lançamento de livro sobre a Costa Verde
Prazo para adesão ao Desenrola Fies é prorrogado até 31 de agosto
Destaque
Prazo para adesão ao Desenrola Fies é prorrogado até 31 de agosto
Estudantes de Caxias ganham nova escola municipal bilíngue
Baixada Fluminense
Estudantes de Caxias ganham nova escola municipal bilíngue
Ocupação hoteleira na Região dos Lagos deve ultrapassar os 75% durante o feriadão de Corpus Christi
Costa do Sol
Ocupação hoteleira na Região dos Lagos deve ultrapassar os 75% durante o feriadão de Corpus Christi

Combate ao racismo nos estádios e arenas esportivas do Estado do Rio ganha reforço com ‘Lei Vini Jr’

Em evento no Maracanã, jogador foi homenageado e deixou ainda sua marca na calçada da fama do estádio
Foto: Fabiano Veneza

O enfrentamento ao racismo nos estádios e arenas esportivas do Rio de Janeiro ganhou reforço. O governador Cláudio Castro sancionou, nesta quarta-feira (05), duas leis que tratam do tema que mobilizou o Legislativo fluminense para combater atos discriminatórios nas competições, principalmente após os episódios envolvendo o craque gonçalense Vinicius Junior, do Real Madrid. Os textos serão publicados em edição extraordinária do Diário Oficial ainda nesta quarta.

Vini Jr, Raphael Thompson e Professor Josemar – Foto: Governo do Estado do RJ

A novidade foi anunciada nesta manhã pelo vice-governador Thiago Pampolha em evento no Maracanã, que contou com a presença do jogador, do secretário de Estado de Esporte e Lazer, Rafael Picciani, do chefe de gabinete da presidência da Alerj, Raphael Thompson, parlamentares da Assembleia e da Câmara de Vereadores do Rio.

A Lei 10.053/23 institui a Política Estadual “Vini Jr” de Combate ao Racismo nos Estádios e nas Arenas Esportivas do Rio de Janeiro. Entre diversas medidas obrigatórias e facultativas, o texto prevê interrupção da partida em caso de denúncia ou manifestação racista, além de campanhas educativas antes e nos intervalos das competições. Já a de nº 10.052/23 inclui no Calendário Oficial do Estado “O Dia da Resposta Histórica Contra o Racismo no Futebol”, a ser comemorado em 7 de abril. A data é em referência à manifestação do Vasco, em 7 de abril de 1924, que recusou a proposta da Associação Metropolitana de Esportes Athléticos (AMEA) de excluir seus jogadores negros e operários.

– É nosso papel fortalecer políticas de enfrentamento ao racismo, e garantir também que os estádios e arenas esportivas sejam ambientes acolhedores. Racismo é crime e deve ser combatido todos os dias, em todos os lugares. Essa é uma luta que travamos dentro e fora de campo. Que as iniciativas que estamos tirando hoje do papel sejam mais um avanço por um Rio e um país antirracista e mais justo – declarou Cláudio Castro.

O vice-governador reforçou que as leis demonstram, sobretudo, que não haverá tolerância para condutas discriminatórias nos estádios e arenas.

– Esporte é sinônimo de diversidade, sobretudo respeito. Seja no campo, na quadra, na arena, nas arquibancadas. Racismo é crime e não vamos tolerar atitudes deste tipo. Que a iniciativa de hoje ative a consciência de todos para a busca constante de uma sociedade igualitária – destacou o vice-governador.

Calçada da Fama

Vinicius Jr. também deixou sua marca na calçada da fama do estádio. Para o jogador, as homenagens representam reconhecimento.

– Hoje é um dia muito especial e espero que a minha família esteja orgulhosa de mim, de tudo que fez para eu chegar até aqui. Sou um cara muito novo e não esperava tantos prêmios e receber todo esse carinho, aqui no Maracanã, onde assisti tantos jogos do Flamengo, é emocionante – disse Vini Jr.

O momento foi acompanhado pelo secretário Rafael Picciani, que aproveitou a ocasião para enaltecer o jogador.

– É uma honra prestar essa homenagem a um atleta que é ídolo do futebol brasileiro, nascido e criado no Rio de Janeiro. O Vinícius Jr, além de carregar todas as conquistas de sua carreira no futebol, também se torna um símbolo no combate ao racismo. E por isso, nós do Governo do Estado temos muito orgulho em poder valorizar sua trajetória como um exemplo de talento, determinação e coragem – ressaltou Picciani.

Lei Vini Jr

A “Lei Vini Jr” também estabelece o Protocolo de Combate ao Racismo, com a orientação de que qualquer cidadão poderá informar condutas racistas a qualquer autoridade presente no estádio. A denúncia deverá ser encaminhada à organização do evento, à Delegacia de Crimes Raciais e Delitos de Intolerância (Decradi) e às autoridades.

Ainda de acordo com a lei, a interrupção da competição por conta de atos discriminatórios durará o tempo que o organizador do evento ou o delegado da partida considerar necessário e enquanto não cessar a conduta racista. Além disso, o jogo poderá ser encerrado em caso de atos praticados por grupos ou de forma reincidente.

Medalha Tiradentes e Medalha Pedro Ernesto

O atleta recebeu ainda as maiores honrarias concedidas pela Alerj e pela Câmara: a Medalha Tiradentes e a Medalha Pedro Ernesto, respectivamente. Recebeu ainda o título de Cidadão Carioca, pela Câmara.

Participaram também da cerimônia a deputada Verônica Lima, que propôs a homenagem da Alerj; o deputado Professor Josemar, autor do projeto que gerou a Lei Vini Jr., com coautoria de outros parlamentares; as vereadoras Mônica Cunha e Tânia Bastos; o presidente da Suderj, Renato de Paula e outros.