Ouça agora

Ao vivo

Rio das Ostras fecha ruas para oferecer mais segurança no Jazz e Blues
Costa do Sol
Rio das Ostras fecha ruas para oferecer mais segurança no Jazz e Blues
Defesa Civil de Macaé divulga comunicado sobre rajadas de vento na região
Norte Fluminense
Defesa Civil de Macaé divulga comunicado sobre rajadas de vento na região
Defesa Civil de Angra presta auxílio ao Rio Grande do Sul
Angra dos Reis
Defesa Civil de Angra presta auxílio ao Rio Grande do Sul
Assistência Social registra quase 3 mil atendimentos no mutirão do CadÚnico
Maricá
Assistência Social registra quase 3 mil atendimentos no mutirão do CadÚnico
Cinema e cultura popular são os destaques da semana no II Festival de Artes de Nova Iguaçu
Nova Iguaçu
Cinema e cultura popular são os destaques da semana no II Festival de Artes de Nova Iguaçu
Polícia Civil faz operação contra venda ilícita de cobre em diversas regiões do RJ
Estado
Polícia Civil faz operação contra venda ilícita de cobre em diversas regiões do RJ
Lojistas cariocas esperam aumento de 4% nas vendas para o 12 de Junho
Rio de Janeiro
Lojistas cariocas esperam aumento de 4% nas vendas para o 12 de Junho

Climate Hub debate preservação de oceanos no Rio de Janeiro

Durante o evento foram feitas propostas para fomentar o orçamento para a ciência, pesquisa, avançar com isso frente aos governos com o objetivo de criar comissões locais de debate, por exemplo de unidades de conservação marítima e outras
Foto: Reprodução

Foi realizado nesta quarta-feira (26), no Museu Histórico do Exército, no Rio de Janeiro, o evento Oceano e Clima – A conservação marinha no combate às mudanças climáticas no Brasil. O encontro foi promovido pelo Climate Hub, centro de estudos do clima do Columbia Global Centers Rio, parte integrante da Universidade de Columbia, dos Estados Unidos.

O objetivo do evento é dar mais visibilidade à necessidade de preservação dos oceanos, para valorizar o enfrentamento das mudanças climáticas. Atualmente, apenas 1% do orçamento de todos os países do mundo é destinado à pesquisa oceânica, declarou a gerente de Projetos do Climate Hub Rio, Camila Pontual. “Sem avanços na pesquisa, não temos dados, a gente não consegue avançar em políticas públicas, e não preserva o que não conhece.”

A pesquisadora a destacou que, em 2021, a Organização das Nações Unidas (ONU) estabeleceu até 2030 a década para a ciência oceânica, englobando não só a preservação dos oceanos, mas a pesquisa oceânica. “Exatamente porque temos um gap (lacuna) de conhecimento e de dados na questão dos oceanos, embora aquilo que sabemos já nos mostre a relevância dos oceanos.”

A gerente de Projetos do Climate Hub Rio afirmou que os oceanos são o maior sumidouro de carbono. “Eles não só capturam o carbono, como asseguram que o elemento químico fique ali, a tecnologia mais importante que temos de mudança climática, para combater os gases de efeito estufa.”

O problema é que os seres humanos ainda conhecem muito pouco sobre a biodiversidade marinha, sobre os impactos das mudanças climáticas nessa biodiversidade, “que é fundamental para manter esse sumidouro”. Por causa disso, as Climate Hub, da Universidade de Columbia, se uniram para começar a reunir especialistas brasileiros para avançar a pesquisa de oceanos no Brasil.

O evento no Forte de Copacabana foi realizado pelo Climate Hub Rio, em parceria com o Projeto Ilhas do Rio e o Núcleo de Vida Marinha da Secretaria de Meio Ambiente e Clima da Cidade do Rio de Janeiro (SMAC).

Para a secretária de Meio Ambiente e Clima do Rio, Tainá de Paula, é necessária uma atenção especial com a vida marinha não só no Rio de Janeiro, mas em todo o Brasil. Ela destacou que o país tem mais de 7,4 mil quilômetros de litoral e serve de referência quando o assunto é pesca ou sustentabilidade marinha. “Por isso, precisamos focar nossos esforços em sugerir políticas públicas que possam minimizar os impactos das mudanças climáticas no Brasil”, afirmou.

Durante o evento foram feitas propostas para fomentar o orçamento para a ciência, fomentar a pesquisa, entender os impactos nessas temáticas, avançar com isso frente aos governos federal, estaduais e municipais, com o objetivo de criar comissões locais de debate, de modo a promover maior criação, por exemplo, de unidades de conservação marítima e outras.

Ao final do evento, os participantes visitaram a exposição A Esperança nas Águas e Ilhas do Rio, organizada pelo Projeto Ilhas do Rio e inaugurada no salão principal do Museu Histórico do Exército e Forte de Copacabana.