Ouça agora

Ao vivo

Estado anuncia a criação de projeto piloto de prevenção de tragédias climáticas em nove cidades
Estado
Estado anuncia a criação de projeto piloto de prevenção de tragédias climáticas em nove cidades
Espanha, Irlanda e Noruega reconhecem o Estado da Palestina
Mundo
Espanha, Irlanda e Noruega reconhecem o Estado da Palestina
Comissão da Alerj quer fortalecimento das Cozinhas Solidárias para combater a insegurança alimentar no estado
Política
Comissão da Alerj quer fortalecimento das Cozinhas Solidárias para combater a insegurança alimentar no estado
Paes se reúne com Landim e afirma que pode desapropriar terreno para estádio do Flamengo
Esportes
Paes se reúne com Landim e afirma que pode desapropriar terreno para estádio do Flamengo
Detran.RJ amplia emissão da Carteira de Identidade Nacional (CIN) para pessoas até 50 anos de idade
Estado
Detran.RJ amplia emissão da Carteira de Identidade Nacional (CIN) para pessoas até 50 anos de idade
Mais de 10 milhões de pessoas ainda não entregaram declaração do Imposto de Renda
Destaque
Mais de 10 milhões de pessoas ainda não entregaram declaração do Imposto de Renda
Professores de universidades federais se dividem sobre aceitar proposta e acabar com a greve
Brasil
Professores de universidades federais se dividem sobre aceitar proposta e acabar com a greve

Cláudio Castro sanciona lei obrigando estabelecimentos comerciais à disponilizar cardápios físicos

Restaurantes e bares no Estado do Rio não poderão disponibilizar apenas o menu digital aos clientes
Foto: Divulgação

O Governador do Rio, Cláudio Castro, sancionou nesta quinta-feira (01) a Lei 10.032/23, que determina obrigatoriedade aos estabelecimentos gastronômicos instalados no Estado do Rio à disponibilizar versões físicas de seus cardápios aos clientes. A norma proíbe a oferta do cardápio exclusivamente digital por ”QR Code”, prática que tem sido adotada por diversos espaços, desde a pandemia da Covid-19. A regra vale não só para bares e restaurantes, mas também para outros locais que comercializam bebidas, refeições e lanches, como hotéis.

Os comércios não poderão repassar custos da impressão do cardápio ao consumidor. Além disso, no menu impresso deverá obrigatoriamente constar o nome do prato e o seu respectivo preço.

— O cardápio digital é uma ótima opção, foi muito importante durante a pandemia, mas não pode ser a única alternativa para os consumidores. O menu digital por vezes causa transtornos para cidadãos que não estão com o celular no momento da refeição, ou que estão sem acesso à internet. Precisamos ser inclusivos, fazendo com que todos se sintam confortáveis ao sentar em um restaurante — destacou Cláudio Castro.

Em caso de descumprimento das regras, serão aplicadas penalidades previstas no Código de Defesa do Consumidor. A multa será revertida para o Fundo Especial de Apoio a Programas de Proteção e Defesa do Consumidor (Feprocon). Os valores e a aplicação das respectivas autuações e penalidades caberão ao Poder Executivo, que tomará todas as medidas necessárias para o cumprimento da lei.