Ouça agora

Ao vivo

Comando de Polícia Rodoviária registra queda no número de acidentes com vítimas fatais durante o feriado de São Jorge
Destaque
Comando de Polícia Rodoviária registra queda no número de acidentes com vítimas fatais durante o feriado de São Jorge
Alerj aprova projeto para ampliar combate ao trabalho análogo à escravidão
Política
Alerj aprova projeto para ampliar combate ao trabalho análogo à escravidão
Prefeitura do Rio promove consulta pública sobre concessão de parques municipais
Rio de Janeiro
Prefeitura do Rio promove consulta pública sobre concessão de parques municipais
Maricá recebe prêmio destaque do artesanato na 16ª Rio Artes
Maricá
Maricá recebe prêmio destaque do artesanato na 16ª Rio Artes
Passagem de carretas interditará descida da serra de Petrópolis na madrugada de 25/04
Estado
Passagem de carretas interditará descida da serra de Petrópolis na madrugada de 25/04
Cidades do Rio podem ganhar “Café do Trabalhador”
Política
Cidades do Rio podem ganhar “Café do Trabalhador”
CBF divulga data e horário dos jogos da terceira fase da Copa do Brasil
Esportes
CBF divulga data e horário dos jogos da terceira fase da Copa do Brasil

Cirurgias ao som de AC/DC são mais eficientes e precisas, mostra estudo

"TNT" e "Highway to Hell", do grupo australiano AC/DC, reduziram o tempo para realizar uma incisão de 236 para 139 segundos, além de aumentar em 5% a precisão da cirurgia.
Foto: Reprodução

13 de julho é celebrado o dia mundial do Rock. Pensando nisso, um estudo alemão recente, mostrou que músicas desse tipo de estilo e salas de cirurgia tem mais em comum do que muitas pessoas imaginam. Pesquisadores da Universidade de Heidelberg, descobriram que ouvir composições da banda AC/DC durante a operação melhorou a eficiência e a precisão dos cirurgiões.

Os cientistas analisaram ainda o impacto de escutar músicas dos Beatles e observaram que a banda britânica proporcionou uma redução no tempo gasto na hora de dar os pontos cirúrgicos.

“É possível que a música com alta ritmicidade possa fornecer um andamento para manter a velocidade durante o desempenho e, assim, melhorar o desempenho da tarefa. Nossos resultados mostram que ambos o soft rock e o hard rock podem melhorar o desempenho cirúrgico”, escreveram os pesquisadores.

O trabalho monitorou cirurgiões durante uma laparoscopia – um procedimento cirúrgico considerado minimamente invasivo. Eles foram observados durante três situações: uma em que operaram em silêncio, outra ao som das músicas em volume médio (45 a 50 decibéis) e a terceira com o volume alto (65 a 70 decibéis). Em todos os cenários com o som ligado, foram tocadas músicas dos Beatles, para o que os cientistas classificaram como efeitos do soft rock, e da banda AC/DC, enquadrada como hard rock – e a maioria apresentou benefícios.

“Let It Be” e “Hey Jude”, dos Beatles, tocadas em volume médio, aceleraram o tempo que os médicos levaram para realizar o procedimento de suturas em quase 50%. Porém, as canções em um som mais alto não provocaram mudanças significativas durante a cirurgia.

Já em relação ao hard rock – gênero normalmente mais acelerado que o soft rock e com mais ênfase nas guitarras elétricas – as melhorias foram observadas tanto em volume médio, como no som mais alto. “TNT” e “Highway to Hell”, do grupo australiano AC/DC, reduziram o tempo para realizar uma incisão de 236 para 139 segundos, além de aumentar em 5% a precisão da cirurgia.

“Nossos dados revelam que o efeito da música na performance durante a laparoscopia pode depender da combinação de gênero musical e da amplitude. Um gênero musical geralmente bem aceito no volume certo pode melhorar o desempenho de cirurgiões durante os procedimentos”, concluíram os pesquisadores alemães.