Ouça agora

Ao vivo

Anuário Brasileiro de Segurança Pública aponta redução das Mortes Violentas Intencionais no RJ
Destaque
Anuário Brasileiro de Segurança Pública aponta redução das Mortes Violentas Intencionais no RJ
Escola Municipal do Idoso está com inscrições abertas até o dia 23/07
Maricá
Escola Municipal do Idoso está com inscrições abertas até o dia 23/07
Colecionadores podem comprar selos em comemoração aos 50 anos da Hello Kitty
Destaque
Colecionadores podem comprar selos em comemoração aos 50 anos da Hello Kitty
Inscrições para o Prouni abrem nesta terça-feira (23)
Brasil
Inscrições para o Prouni abrem nesta terça-feira (23)
Cláudio Castro autoriza construção de três novos batalhões da PM
Destaque
Cláudio Castro autoriza construção de três novos batalhões da PM
G20 inicia semana de encontros econômicos e sociais no Rio
Brasil
G20 inicia semana de encontros econômicos e sociais no Rio
Eleitorado do Rio de Janeiro será 4,6% maior nas eleições deste ano
Política
Eleitorado do Rio de Janeiro será 4,6% maior nas eleições deste ano

China descobre que cidadão estava “vendendo” informações sigilosas para a CIA

O homem de 52 identificado como Zeng, fornecia informações sigilosas em troca de dinheiro para a CIA
Foto: Reuters - Kevin Lamarque

Nesta sexta-feira (11), a China anunciou que descobriu recentemente um caso de espionagem envolvendo um cidadão do seu país que fornecia informações sigilosas em troca de dinheiro para a Agência Central de Inteligência (CIA) dos Estados Unidos.

O Ministério de Segurança do Estado identificou o homem, 52, com seu sobrenome, Zeng.

“Após uma investigação meticulosa, a autoridade de segurança do Estado obteve evidências das atividades de espionagem de Zeng e, de acordo com a lei, tomou medidas coercitivas contra ele, para eliminar os danos em tempo hábil”, disse o ministério, em comunicado.

O texto explica que o suposto espião foi enviado à Itália para estudar e lá confraternizou com um agente da CIA alocado na embaixada dos Estados Unidos, em Roma.

Esse indivíduo convenceu Zeng a fornecer “informações militares sensíveis” chinesas, em troca de “uma enorme quantidade de compensação” e assistência na mudança dele e de sua família para os Estados Unidos, disse o comunicado.