Ouça agora

Ao vivo

Procon e Conselho de Veterinária fazem fiscalização e interditam clínicas na zona norte do Rio
Estado
Procon e Conselho de Veterinária fazem fiscalização e interditam clínicas na zona norte do Rio
Governo se reúne com professores e servidores federais em greve para discutir revisão de carreira
Destaque
Governo se reúne com professores e servidores federais em greve para discutir revisão de carreira
Rio das Ostras e Senac RJ oferecem curso gratuito no setor de Gastronomia
Costa do Sol
Rio das Ostras e Senac RJ oferecem curso gratuito no setor de Gastronomia
Workshop de atendimento segue com inscrições abertas
Angra dos Reis
Workshop de atendimento segue com inscrições abertas
Maricá lança ferramenta de segurança nas escolas
Maricá
Maricá lança ferramenta de segurança nas escolas
Nova Iguaçu recebe mais uma edição da Festa de São Jorge
Nova Iguaçu
Nova Iguaçu recebe mais uma edição da Festa de São Jorge
Governador Cláudio Castro nomeia novo secretário de Polícia Militar
Estado
Governador Cláudio Castro nomeia novo secretário de Polícia Militar

Chafarizes históricos do Rio são revitalizados

O Chafariz da Glória e a Bica da Rainha foram totalmente revitalizados. Os dois monumentos são tombados pelo IPHAN
Imagem: Victor Serra (Manchete)

O histórico Chafariz da Glória foi pintado pela Cedae, após inúmeras pichações na fachada da construção histórica de 1772. O chafariz, que é localizado na Rua Glória, entre os números 122 e 178, é tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional desde a década de 30. Atualmente, a construção pertence a Companhia Estadual de Águas e Esgotos (CEDAE) e, frequentemente, é algo de vandalismo, como pichações e acumulo de lixo.

Outro chafariz histórico foi revitalizado nos últimos dias. Ainda na Zona Sul, a Bica da Rainha, no Cosme Velho, também recebeu um “banho de loja” pela Prefeitura do Rio, que realizou pintura da fachada e das grades que protegem a construção.

A Bica da Rainha foi construída no início do século XIX, a mando da Rainha D. Carlota Joaquina, mulher de D. João VI. A Rainha “A Louca”, como era conhecida, frequentemente, ia ao bairro do Cosme Velho, para usar as propriedades curativas das águas do Rio Carioca.

O IPHAN tombou a Bica em 1938. E a Fundação Parques e Jardins preserva o monumento desde 1999.