Ouça agora

Ao vivo

Macaé ganha novas redes de esgoto na Aroeira
Norte Fluminense
Macaé ganha novas redes de esgoto na Aroeira
Itaipuaçu recebe evento Passaporte em Ação
Maricá
Itaipuaçu recebe evento Passaporte em Ação
Petrópolis tem 82 hectares de área queimada no primeiro semestre do ano
Destaque
Petrópolis tem 82 hectares de área queimada no primeiro semestre do ano
Eleições Municipais têm mulheres como maioria do eleitorado, revela TSE
Brasil
Eleições Municipais têm mulheres como maioria do eleitorado, revela TSE
Eduardo Paes lança candidatura à reeleição, mas ainda sem o nome do vice. Pedro Paulo é o preferido
Política
Eduardo Paes lança candidatura à reeleição, mas ainda sem o nome do vice. Pedro Paulo é o preferido
Prouni terá mais de 240 mil bolsas no segundo semestre
Brasil
Prouni terá mais de 240 mil bolsas no segundo semestre
Projeto de Judô transforma vida de 280 crianças em Japeri
Baixada Fluminense
Projeto de Judô transforma vida de 280 crianças em Japeri

CGU indica irregularidades de R$ 2 bi em auxílios pagos no governo Bolsonaro

Auditorias identificaram 356,7 mil pessoas que receberam benefícios sem preencher pré-requisitos nos dois programas. Auxílios foram pagos no 2º semestre – quando Bolsonaro tentava reeleição
Foto: Reprodução

A Controladoria-Geral da União (CGU) divulgou nesta sexta-feira (2), auditorias que identificaram pagamentos irregulares de quase R$ 2 bilhões nos auxílios pagos pelo governo Jair Bolsonaro a caminhoneiros e taxistas no segundo semestre de 2022.

Falhas na operacionalização desses pagamentos fizeram com que 356.773 pessoas recebessem as parcelas sem ter direito legal aos recursos, aponta a CGU. 

Entre julho e dezembro de 2022, caminhoneiros e taxistas foram beneficiados com um auxílio mensal de R$ 1 mil. Essa medida foi aprovada pelo Congresso como forma de atenuar os impactos da instabilidade nos preços do petróleo no mercado global, que afetou diretamente os valores dos combustíveis no País.

Na hora de cadastrar os beneficiários e efetuar os pagamentos, no entanto, o governo Bolsonaro teria incluído 110.051 pessoas irregularmente no Auxílio-Caminhoneiro e outras 314.025 no Auxílio-Taxista.

Esses números correspondem, respectivamente, a 27,3% e 78% do total de beneficiários de cada programa, segundo a CGU.

No total, essas pessoas receberam até R$ 7 mil, cada, sem ter direito ao benefício, durante o período em que o então presidente Jair Bolsonaro tentava a reeleição.

A CGU recomendou à Dataprev, empresa responsável pelo processamento de dados e geração das folhas de pagamento dos benefícios, que tome as medidas necessárias para reembolsar os valores indevidamente pagos a beneficiários que receberam o auxílio sem atender aos critérios estabelecidos.

Taxistas

 

O pagamento indevido do auxílio aos taxistas resultou em um maior prejuízo para os cofres públicos. Segundo a CGU, de um total de 314.025 beneficiários do programa, 246.722 não atendiam aos critérios estabelecidos e receberam o auxílio indevidamente. O montante desembolsado para essas pessoas totalizou R$ 1,39 bilhão.

Caminhoneiros

 

No caso do auxílio destinado aos caminhoneiros, conforme o relatório, o valor pago indevidamente a essas pessoas totalizou quase R$ 582,9 milhões. Dos 402.773 beneficiários, 110.051 não preenchiam os critérios de elegibilidade para receber o benefício.