Ouça agora

Ao vivo

Vítima morta durantge comício de Donald Trump é identificada
Destaque
Vítima morta durantge comício de Donald Trump é identificada
Morre escritor e jornalista Sérgio Cabral Santos aos 87 anos
Destaque
Morre escritor e jornalista Sérgio Cabral Santos aos 87 anos
FBI identifica atirador que tentou matar Donald Trump
Destaque
FBI identifica atirador que tentou matar Donald Trump
Donald Trump sofre atentado durante um comício de sua candidatura à presidência dos EUA
Destaque
Donald Trump sofre atentado durante um comício de sua candidatura à presidência dos EUA
Vestibular Uerj 2025: inscrições para o 2º Exame de Qualificação
Destaque
Vestibular Uerj 2025: inscrições para o 2º Exame de Qualificação
Julgamento de Alec Baldwin por homicídio culposo é anulado por ocultação de provas
Destaque
Julgamento de Alec Baldwin por homicídio culposo é anulado por ocultação de provas
Queimados promove quarta edição da Colônia de Férias no Horto
Baixada Fluminense
Queimados promove quarta edição da Colônia de Férias no Horto

Cedae comemora o Dia do Meio Ambiente com programa para recuperar cinturão verde no Rio

Além de integrar as metas estabelecidas pela Organização das Nações Unidas (ONU) com a "Década da Restauração de Ecossistemas", que vai até 2030, a Cedae, em parceria com o Governo do Estado, estenderá as ações de plantio na localidade até 2050
Foto: Divulgação/Cadae

Cada vez mais focada nos princípios ESG (Ambiental, Social e de Governança), a Cedae vai lançar, no próximo dia 7, em um evento no Palácio Guanabara, o Programa de Restauração do Corredor Tinguá-Bocaina, um cinturão verde que engloba nove municípios do Rio de Janeiro. O projeto, realizado em parceria com a Secretaria de Estado de Ambiente e Sustentabilidade (Seas), irá reflorestar a área que vai da Serra do Tinguá até a Serra da Bocaina, um corredor de grande importância hídrica, já que tem mananciais onde a água é captada para tratamento pela Cedae.

Além de ajudar na recuperação e na preservação de recursos hídricos, o programa ainda protegerá a biodiversidade no estado e vai promover o desenvolvimento com sustentabilidade em Miguel Pereira, Paty do Alferes, Barra do Piraí, Piraí, Paracambi, Engenheiro Paulo de Frontin, Mendes, Vassouras e Rio Claro.

Thiago Pampolha, vice-governador e secretário de estado do Ambiente e Sustentabilidade, avalia que o Rio de Janeiro é um estado chave na preservação e restauração florestal. Com iniciativas que são referências para outros lugares. “Os próximos anos são essenciais para que consigamos controlar e mitigar os desafios ambientais que assolam nosso planeta hoje. É fundamental que, durante a jornada até 2030, sejam construídas alianças produtivas entre os atores e as entidades interessadas em um Rio de Janeiro e um planeta mais sustentáveis”.

À frente do projeto na Cedae, o gerente executivo de ESG da Companhia, Allan Borges, reforçou a importância da área para garantir a segurança hídrica no estado. “O corredor Tinguá-Bocaina é uma região de grande importância ambiental, principalmente para segurança hídrica e biodiversidade. No entanto, ao longo dos anos, essa região tem sofrido com desmatamento e degradação ambiental. Por isso, assumimos esse compromisso de recuperar a área”.

A Semana do Meio Ambiente terá início na segunda-feira (5/6), com o plantio de mudas de espécies nativas da Mata Atlântica em Queimados, na Baixada Fluminense. A iniciativa faz parte do projeto lançado no fim de 2021, que prevê 1 milhão de novas árvores para a recuperação da mata ciliar do Rio Guandu em até cinco anos.

Ainda no dia 5, o Manancial, centro de inovação socioambiental da Cedae, vai receber dois eventos. De manhã, alunos da Escola Municipal Edmundo Bittencourt, de Benfica, na Zona Norte do Rio, vão poder expandir os conhecimentos sobre cuidados com a água, matas ciliares e destinação correta de resíduos. Já à tarde, o projeto “Meio ambiente em meia hora” promoverá palestra sobre compostagem industrial.

Fechando a programação da Companhia, a Cedae vai inaugurar, ainda este mês, o oitavo viveiro florestal do Replantando Vida, que fica na Penitenciária Luís Fernandes Bandeira Duarte, no distrito de Bulhões, em Resende. O local tem 1,7 mil m² de área e poderá cultivar até 200 mil mudas de espécies nativas da Mata Atlântica por ano.