Ouça agora

Ao vivo

Comando de Polícia Rodoviária registra queda no número de acidentes com vítimas fatais durante o feriado de São Jorge
Destaque
Comando de Polícia Rodoviária registra queda no número de acidentes com vítimas fatais durante o feriado de São Jorge
Alerj aprova projeto para ampliar combate ao trabalho análogo à escravidão
Política
Alerj aprova projeto para ampliar combate ao trabalho análogo à escravidão
Prefeitura do Rio promove consulta pública sobre concessão de parques municipais
Rio de Janeiro
Prefeitura do Rio promove consulta pública sobre concessão de parques municipais
Maricá recebe prêmio destaque do artesanato na 16ª Rio Artes
Maricá
Maricá recebe prêmio destaque do artesanato na 16ª Rio Artes
Passagem de carretas interditará descida da serra de Petrópolis na madrugada de 25/04
Estado
Passagem de carretas interditará descida da serra de Petrópolis na madrugada de 25/04
Cidades do Rio podem ganhar “Café do Trabalhador”
Política
Cidades do Rio podem ganhar “Café do Trabalhador”
CBF divulga data e horário dos jogos da terceira fase da Copa do Brasil
Esportes
CBF divulga data e horário dos jogos da terceira fase da Copa do Brasil

CBF mostra como foi traçada linha de impedimento de gol anulado de Gabigol, do Flamengo

Presidente da comissão de arbitragem, Wilson Seneme explica como foi definido o lance que invalidou gol do camisa 10 contra o Athletico-PR
Foto: Reprodução

Um dos lances polêmicos da vitória por 2 a 0 do Flamengo sobre o Athletico-PR na quarta-feira, em Curitiba, o gol anulado de Gabigol no segundo tempo foi alvo de análise detalhada por parte da Comissão de Arbitragem da CBF. Com o auxílio de dois árbitros, Wilson Luiz Seneme, presidente da comissão, explicou o lance em vídeo divulgado nesta quinta.

Atual gerente técnico do VAR na comissão da CBF, o ex-árbitro Péricles Bassols detalhou como foi feito o traçado em conversa com Seneme.

– Assim o Guarizo (Rodrigo Guarizo Ferreira do Amaral/Fifa-SP, árbitro de vídeo do jogo) fez ontem (quarta). A bola está calibrada no momento do passe, e eu preciso identificar os jogadores. O defensor (Thiago Heleno) tem a ponta do pé mais próxima da linha de fundo. Então essa é a nossa referência. A gente vai encostar a base na lateral do pé e encostar a linha um pouquinho mais para a esquerda. Esse é o momento e o ponto. Sobe a linha e um pontilhado azul para identificar o pé. Nesse momento, a gente vê que o jogador de branco (Gabigol) aparenta estar desse lado da linha que foi pintada na tela, mas a gente tem que terminar o traçado dela. Então vou colocar o traçado no atacante – relata Bassols.

O presidente da comissão de arbitragem entende que Gabigol e torcedores se precipitaram ao comemorar o gol enquanto a revisão do lance era exibida no telão da Arena da Baixada. Seneme ainda afirma que o “corpo inclinado tem tendência a enganar o visual”.

– Uma coisa bastante importante é que havia comemoração. Houve uma comemoração como se não estivesse impedido, mas todas as pessoas, desde jogadores e torcedores que estão no estádio e assistindo pela televisão, têm que esperar o momento final do traçado da segunda linha, porque esse corpo inclinado tem uma tendência a enganar o visual. Quando a gente colocar a segunda linha é que se tem um resultado. Antes disso não é possível comemorar – prosseguiu Seneme.

Bassols passa à fase final de análise do posicionamento de Gabigol com base no ombro.

– A gente vai para o término do processo, que é identificar qual ponto do jogador branco está mais próximo da linha de fundo. E a gente identifica por essa imagem, que é o que o Guarizo fez ontem, que é o ombro. Então nós vamos no ombro e de novo temos que subir a base. Vamos encostar no ombro dele. Não é o braço, é a lateral do braço, como a regra prevê.

Seneme, com a referência da camisa que está usando no vídeo localizado no topo desta reportagem, explica como deve ser feito o traçado em cima daquela região do corpo.

– Existe uma confusão muito grande. Normalmente as pessoas pensam que a referência do ombro é a faixa branca da minha camisa (veja no vídeo no topo da matéria) é a referência do ombro, mas não é. A regra claramente demonstra que no final da axila eu tenho que traçar uma linha horizontal. Essa linha abrange a área do final do braço do jogador. O ombro não é na costura da camisa, o ombro é toda a região, inclusive uma parte do braço como referência. Isso é muito importante. A linha é traçada na parte superior da axila.

Bassols garante que não se trata de “lance ajustado”.

– Vamos terminar o processo. A gente escolheu o ombro, como o Guarizo fez ontem. Pode confirmar a linha e subi-la na referência que ele escolheu. Confirma as duas linhas para mim. O gráfico mostra que é offside, que é impedimento. Não é um lance ajustado. É um lance com certo espaço.

Seneme diz ainda que, independentemente da câmera utilizada, o resultado seria o mesmo.

– O importante é que a gente saiba, que independentemente das câmeras, o resultado é o mesmo. Elas estão calibradas. Eu, como membro de comissão de arbitragem da Fifa, participei de todos os processos de aprovação dessa ferramenta. Ela tem a chancela da Fifa e é utilizada no mundo todo.

– Em resumo da jogada que a gente viu, o objetivo foi demonstrar a questão da linha do braço, que pega o final do braço no alto. E também todo esse processo que as linhas são calibradas antes do jogo. E que independentemente da câmera que o VAR utilize para traçar, o resultado final será igual com 100% de garantias.