Ouça agora

Ao vivo

Procon e Conselho de Veterinária fazem fiscalização e interditam clínicas na zona norte do Rio
Estado
Procon e Conselho de Veterinária fazem fiscalização e interditam clínicas na zona norte do Rio
Governo se reúne com professores e servidores federais em greve para discutir revisão de carreira
Destaque
Governo se reúne com professores e servidores federais em greve para discutir revisão de carreira
Rio das Ostras e Senac RJ oferecem curso gratuito no setor de Gastronomia
Costa do Sol
Rio das Ostras e Senac RJ oferecem curso gratuito no setor de Gastronomia
Workshop de atendimento segue com inscrições abertas
Angra dos Reis
Workshop de atendimento segue com inscrições abertas
Maricá lança ferramenta de segurança nas escolas
Maricá
Maricá lança ferramenta de segurança nas escolas
Nova Iguaçu recebe mais uma edição da Festa de São Jorge
Nova Iguaçu
Nova Iguaçu recebe mais uma edição da Festa de São Jorge
Governador Cláudio Castro nomeia novo secretário de Polícia Militar
Estado
Governador Cláudio Castro nomeia novo secretário de Polícia Militar

Casos de assédio e importunação sexual são comprovados na Petrobras

Foram mais de 10 casos de assédio e importunação sexual dentro da empresa, que já demitiu cinco pessoas
Imagem: Reprodução

Das 81 denúncias feitas entre 2019 e 2022, a Petrobras diz ter comprovado 10 casos de assédio e importunação sexual.

O caso veio à tona depois da GloboNews ter mostrado dezenas de relatos de funcionários, que por meio de um grupo no WhatsApp, declararam assédios de chefes e abusos sexuais. Uma das funcionárias relatou, ainda, que era proibida de trancar a porta à noite, e que colocava uma cadeira para impedir a passagem de possíveis abusadores.

A Petrobras decidiu, então, após inúmeras denúncias, promover um raio-x nos casos que foram levados à ouvidora a partir de 2019, ano em que as apurações começaram a ser centralizadas pela ouvidoria.

Após dois meses da investigação de 80 casos, a empresa diz ter comprovado total ou parcialmente os fatos relatados. Resultando na demissão de cinco pessoas, além da suspensão e afastamento dos assediadores do convívio das vítimas, como a mudança de setor ou unidade.

De abril até junho, a estatal contabilizou mais quatro denúncias de assédio, duas ocorridas em 2023, uma em 2022 e outra sem ano identificado. Além de outras 15 denúncias de importunação sexual praticados nos últimos anos.

Sediada no Rio de Janeiro, a Petrobras não indicou os locais de ocorrência dos casos.